PSD/Açores diz que PS entrou em "campanha eleitoral"

PSD/Açores diz que PS entrou em "campanha eleitoral"

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Dez de 2018, 14:37

O PSD/Açores congratulou-se, esta terça-feira, com o anúncio de que haverá um aumento da remuneração complementar da função pública regional, mas acusou os socialistas de estarem em "campanha eleitoral" desde que o novo líder social-democrata foi eleito.

"O Governo [Regional] e o PS sentiram que, perante a nova liderança do PSD/Açores, que defendeu e propôs essa medida, não podiam ficar para trás. Faz lembrar aquele aluno que está todo o ano sem estudar e a faltar às aulas, mas, quando percebe que pode chumbar, vê-se obrigado a dar tudo por tudo para o exame final", diz uma nota do PSD/Açores assinada pelo deputado Bruno Belo e enviada às redações.

Os sociais-democratas açorianos sublinham que apresentaram no parlamento da região uma recomendação para que fosse aberto um processo negocial com vista à atualização da remuneração complementar e respetivos escalões, "recomendação essa que acabou rejeitada pela maioria absoluta socialista" no hemiciclo.

"Congratulamo-nos com este recuo e esta cedência do Governo aos parceiros sociais e ao PSD/Açores, confirmada com o anúncio da atualização em 12% da remuneração complementar, em 2019, mas é preciso falar a verdade e clarificar se os respetivos escalões serão atualizados", prossegue o PSD/Açores, para quem, com a nova liderança do partido, protagonizada por Alexandre Gaudêncio, o PS "entrou definitivamente em campanha eleitoral".

O presidente do Governo dos Açores anunciou na semana passada, em discussão sobre o Plano e Orçamento da região, que, em 2019, a remuneração complementar dos funcionários públicos na região vai aumentar em 12%, sendo reforçado, por essa via, “o rendimento das famílias”.

"O Governo dos Açores vai aumentar a remuneração complementar dos funcionários públicos açorianos em 12%, reforçando, também por essa via, o rendimento das famílias. Também por proposta do PCP, o Governo dos Açores compromete-se, perante este parlamento e perante os açorianos, a reforçar em 2019 o complemento açoriano do abono de família em 06%, permitindo, dessa forma, o apoio reforçado às famílias açorianas, sobretudo àquelas que estão numa situação de maior fragilidade", anunciou o chefe do executivo socialista.

A proposta de Orçamento dos Açores para 2019, aprovada com os votos favoráveis do PS, mas também do CDS-PP e do PCP, tem um valor global de 1.604,8 milhões de euros e pretende ser um documento de "confiança" e "previsibilidade" no trajeto económico, refere o executivo regional.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.