Açoriano Oriental
Covid-19
PS/Açores quer executivo a apoiar compra de produtos locais para restauração

O PS/Açores defendeu, esta terça-feira, apoios do Governo Regional para a aquisição de produtos de marca Açores para a restauração, a par de apoios à liquidez do setor, visando combater os impactos económicos da pandemia da Covid-19.

PS/Açores quer executivo a apoiar compra de produtos locais para restauração

Autor: Lusa/AO Online

À margem de um encontro com a delegação dos Açores da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), em Ponta Delgada, o deputado socialista Francisco César declarou aos jornalistas que o estado da economia, por via da pandemia, “é muito complicado para diversas empresas, mas em particular para o setor da restauração, hotelaria e todas as atividades que estão ligadas ao consumo interno e ao turismo”.

Os deputados da bancada socialista querem que o executivo açoriano, de coligação PSD/CDS-PP/PPM, “apoie a compra de produtos com a marca Açores, com base num programa que já existia no passado, mas que nesta altura requer um esforço adicional da parte do Governo dos Açores, para incluir no setor da restauração, baixando com isso os custos das empresas e beneficiando toda a cadeia de valor”.

Francisco César avançou com uma segunda medida para “apoio concreto à liquidez do setor da restauração”, afirmando que estes apoios, “nos Açores, são inferiores em cerca de metade dos que existem a nível nacional, o que não faz sentido”.

O parlamentar referiu que a medida “permite apoiar 40% da diminuição dos custos da faturação das empresas da restauração”, tendo adiantado que "a maior parte das medidas de apoio à economia que transitaram do anterior Governo socialista já terminaram a sua vigência em 31 de dezembro de 2020".

Os socialistas pretendem “melhorar as medidas que vinham do passado e prorrogar aquelas que, entretanto, caducaram”.

Francisco César sustenta ainda que, com o atual Governo dos Açores, há “alguns setores em que há áreas onde os apoios regionais, a situação na região, é inferior àquela que acontece no continente, como é o caso do apoio à liquidez das empresas”.

A responsável nos Açores pela AHRESP, Cláudia Chaves, declarou, entretanto, à agência Lusa que os números de falências relativos às empresas “vão aumentar porque as dificuldades são enormes”.

Cláudia Chaves considerou ser “muito urgente que tudo aquilo que foi proposto, a que as empresas se candidataram, efetivamente este ano chegue”, uma vez que os prazos previstos “já foram ultrapassados”.


PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.