PS/Açores assegura que setor primário será "prioridade" no Plano de 2014

PS/Açores assegura que setor primário será "prioridade" no Plano de 2014

 

Lusa/AO online   Regional   19 de Nov de 2013, 17:29

O vice-presidente do grupo parlamentar do PS/Açores, José San-Bento, assegurou que o setor primário "continuará a ser uma prioridade no futuro" para a maioria socialista e para o executivo açoriano, apesar do "quadro de dificuldades".

 

O deputado socialista falava aos jornalistas, em Ponta Delgada, na sequência de encontros mantidos com as direções da Federação Agrícola e Federação de Pescas dos Açores, no âmbito de auscultações sobre o Plano e Orçamento para 2014, que vai ser debatido na próxima sessão do parlamento açoriano.

“Os documentos que analisamos, o Orçamento e o Plano de Investimentos da região para o próximo ano, confirmam que quer a agricultura, quer as pescas terão os recursos necessários para o reforço da sua sustentabilidade e da sua competitividade”, declarou José San-Bento.

O deputado socialista frisou que estes dois setores são “muito importantes, geram muita riqueza, dinamizam muito a economia, são fortemente exportadores, geram muitos empregos”, daí que tenham que “merecer uma atenção muito especial da parte de quem tem a responsabilidade que nós temos de assegurar a governação dos Açores”.

“Há aqui uma identificação grande da parte desses setores (agrícola e piscatório) em relação ao Orçamento e ao Plano de Investimentos”, considerou José San-Bento, que admitiu que “existem aspetos que podem ser melhorados e integrados”, indo o PS “trabalhar as sugestões” apresentadas.

Confrontados sobre a pretensão da Federação Agrícola dos Açores de ver aumentando o valor inscrito no Plano e Orçamento de 2014 para o setor, o vice-presidente do grupo parlamentar do PS/Açores recorda que o investimento em causa é de 141,7 milhões de euros, o que representa 22 por cento do total do investimento público regional.

“Obviamente que achamos que são os recursos necessários para assegurar a competitividade e sustentabilidade do setor, mas também compreendemos que haja em algumas medidas, algumas críticas e sugestões”, refere José San-Bento.

O vice-presidente do grupo parlamentar do PS/Açores apontou que a maioria socialista “está aberta a esses contributos” e “muitas coisas vão ser adotadas”, salvaguardando que em 2014 entrará em vigor o novo quadro plurianual da UE para 2014-2020, o que “dará um outro fôlego financeiro ao Governo e ao setor”.

José António Fernandes, presidente da Federação das Pescas dos Açores, no âmbito das suas declarações após o encontro considerou que “gostaria de ver mais” no Plano e Orçamento para 2014.

“Mas ficamos satisfeitos com aquilo que os deputados do grupo parlamentar do PS/Açores nos demonstraram, que teremos todo o seu apoio para que algumas coisas se concretizem. Espero bem que assim seja, porque há umas verbas inscritas no Plano para 2014 que eu julgo que serão insuficientes”, refere José António Fernandes.

O líder dos pescadores açorianos referiu o exemplo da formação, que possui uma verba inscrita “bastante pequena”, uma vez que esta é “importantíssima”, bem como a fiscalização das águas.

“Nós sabemos que há problemas com recursos que gostaríamos de ver geridos de forma diferente. As leis foram criadas, com certeza que há prevaricadores e a Inspeção Regional dos Açores faz o seu papel. Com as verbas inscritas julgo que será pouco, mas o Governo dos Açores saberá o que está fazendo”, considerou o presidente da Federação das Pescas dos Açores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.