Chade

Presidente da Arca de Zoe ilibou jornalistas e tripulação


 

Lusa / Ao online   Internacional   4 de Nov de 2007, 10:28

O presidente da Arca de Zoe, Eric Breteau, ilibou sábado perante um juiz em Ndjamena os jornalistas franceses e a tripulação espanhola do avião que devia transportar 103 crianças para França desde Abéché, no Chade, revelou fonte judicial.
    “Afirmou que tanto ele como os seus cinco companheiros eram responsáveis pela operação Children Rescue (nome da Arca de Zoe no Chade). Nem os jornalistas franceses, nem a tripulação espanhola do avião estão envolvidas na operação”, indiciou a mesma fonte, após a audição de Eric Breteau.

    “Eles (a Arca de Zoe) queriam dar-se a conhecer e foi por isso que convidaram os jornalistas a participar na operação”, acrescentou a mesma fonte.

    Segundo o seu advogado, Abdou Lamia, Eric Breteau foi interrogado durante três horas pelo juiz encarregue do dossier.

    “Ele está bem. Até prova em contrário o nosso cliente neste caso é considerado inocente”, acrescentou o advogado.

    Dos 21 acusados neste caso, 11 (três jornalistas franceses, quatro hospedeiras espanholas, Eric Breteau e três chadianos) foram ouvidos sábado.

    As audiências devem prosseguir segunda-feira com os outros acusados que estão detidos em N'Djamena desde sexta-feira, segundo uma fonte judicial.

    Nove franceses, seis membros da Arca de Zoe e três jornalistas, foram detidos a 25 de Outubro em Abéché, quando tentavam embarcar as crianças num avião com uma tripulação espanhola com destino a França.

    Todos foram acusados por “rapto de menores” e “burla”.

    Quatro responsáveis chadianos da localidade de Tine, na fronteira com o Sudão, são acusados de “cumplicidade”, assim como os sete membros da tripulação.

    Um piloto belga, que transportou uma parte das crianças para Abéché desde a fronteira entre o Chade e o Sudão, foi detido por “cumplicidade no rapto de menores”.

    Os 21 acusados incorrem em penas de cinco a 20 anos de trabalhos forçados.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.