Sociedade

Portugueses ao encontro da sua história na Europa Oriental


 

Lusa/AO online   Nacional   25 de Ago de 2008, 11:55

O Centro Nacional da Cultura (CNC) organiza uma viagem à Polónia e Rússia entre 30 de Agosto e 10 de Setembro, para ir ao "encontro dos vestígios deixados pelos portugueses dos séculos XVII e XVIII".
A comitiva, dirigida por Guilherme d'Oliveira Martins, presidente do CNC, integra 25 personalidades portuguesas, incluindo a pintora Graça Morais, a actriz Glória de Matos, o artista plástico António Júlio Duarte e a historiadora e deputada Matilde Sousa Franco.

    O programa da visita prevê a visita a Cracóvia, na Polónia, bem como a Moscovo, São Petersburgo e Novgorod, três importantes centrais culturais russos.

    Num comunicado distribuído à imprensa, o CNC informa que a iniciativa faz parte de "um ciclo de viagens, que o CNC organiza há cerca de 20 anos (...) que procura ir ao encontro dos vestígios deixados pelos portugueses dos séculos XVII e XVIII pelo mundo fora, realizando na actualidade novas formas de relacionamento com base nessa história comum".

    "Trata-se de descobrir múltiplas dimensões da herança cultural portuguesa que se perpetuam em países tão diferentes como a Índia (onde o grupo do CNC se deslocou em 1985, 1986 e 2006), Marrocos (1986 e 1987), China, Tailândia, Birmânia e Singapura (1987), Brasil (1989), Japão (1992), Indonésia e Timor (2001), São Tomé, Benim, Senegal e Cabo Verde (2004), Brasil (2005)", lê-se no comunicado.

    Segundo o CNC, "estas viagens, que são verdadeiras embaixadas culturais, dão origem a novos laços e projectos, ficam os documentários para a televisão e os Diários de Viagem, sempre da autoria de um artista plástico e de um escritor e/ou historiador".

    "Como convidados do CNC, já acompanharam estas viagens, entre muitos outros, Siza Vieira, Hermano Saraiva, Jorge Borges de Macedo, Teodoro de Matos, Lagoa Henriques e Agustina Bessa-Luís, Júlio Pomar, José Eduardo Agualusa, Inês Pedrosa e João Queiroz, Miguel Real e Adriana Molder, Almeida Faria e Bárbara Assis Pacheco", referem os organizadores.

    O CNC acrescenta que durante as viagens, são promovidos "contactos com autoridades políticas e administrativas e com instituições e personalidades culturais e artísticas locais" para aprofundar e dinamizar relações e promover "um relacionamento futuro igualmente intenso".

    Entre os portugueses que passaram pela Rússia nos séculos XVII e XVIII, destacam-se os missionários que desempenharam um papel de relevo no estabelecimento das relações entre o Reino da Moscóvia e a China, bem como os nomes de António Vieira, primeiro governador de São Petersburgo, João da Costa, bobo da corte russa ou António Ribeiro Sanches, médico imperial.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.