Combate ao terrorismo

Portugal e Espanha criam equipa para investigar ETA

Portugal e Espanha criam equipa para investigar ETA

 

Lusa / AO online   Nacional   1 de Out de 2007, 09:33

Portugal e Espanha assinam segunda-feira um acordo para criar uma equipa com polícias e magistrados dos dois países que investigará a existência de uma eventual infra-estrutura da organização ETA em território português, afirmou domingo o ministro espanhol do Interior.
“Já estamos a investigar esta hipótese mas queremos dar-lhe um impulso através de uma equipa de investigação conjunta que é uma estrutura onde estão as polícias e os juízes”, afirmou o ministro espanhol do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba.

Alfredo Rubalcaba falava aos jornalistas no Palácio Foz, em Lisboa, à margem da assinatura do acordo de criação do Centro de Análises e Operações contra o Narcotráfico, que envolve sete países europeus, incluindo Espanha e Portugal.

O ministro espanhol sublinhou que “o trabalho das polícias [dos dois países] já está a ser realizado” e que “a cooperação policial é excelente com Portugal”.

“O trabalho será reforçado porque estaremos todos juntos: polícia, juízes e procuradores”, afirmou.

Alfredo Rubalcaba sublinhou que “a Polícia, a Guarda Civil e a Polícia Judiciária, em Portugal, estão a trabalhar para discernir se a hipótese de a ETA poder ter uma pequena infra-estrutura em Portugal é ou não verdadeira”.

Segundo o governante espanhol, a existência desta estrutura permanece uma “hipótese de trabalho” depois de ter sido colocada pela primeira vez quando foi encontrado em Ayamonte, perto da fronteira portuguesa, um carro alugado em Portugal com cerca de 100 quilos de material explosivo.

Rubalcaba explicou que a hipótese “esteve quase a ser descartada, quando apareceu um carro em Durongo que tinha sido alugado em Portugal”.

“Aí, a hipótese voltou a ganhar força”, afirmou, referindo-se ao atentado em Durongo, no País Basco espanhol, em que dois agentes da Guarda Civil foram feridos.

O ministro espanhol referiu que o acordo será assinado pelos ministros da Justiça e da Administração Interna (do Interior, na designação espanhola) dos dois países.

Em Agosto último, Rubalcaba já tinha anunciado que Espanha esperava assinar no mês seguinte um acordo com Portugal para criar uma equipa mista de investigação destinada a apurar a eventual existência de uma infra-estrutura da ETA em território português.

Por outro lado, o juiz espanhol Baltasar Garzón enviou no final de Agosto ao Procurador-geral português um pedido formal para a criação de uma equipa judicial conjunta para investigar o atentado em Durango, que foi perpetrado com recurso a um carro alugado em Portugal.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.