Açoriano Oriental
Ponta Delgada distingue jornais e cria Núcleo Museológico da Imprensa Centenária

Ponta Delgada vai ter um Núcleo Museológico da Imprensa Centenária e vai distinguir jornais centenários e um jornalista no aniversário da cidade, no dia 2 de abril, anunciou  o presidente da Câmara, José Manuel Bolieiro.

article.title

Foto: CMPD
Autor: Susete Rodrigues/AO Online

Em conferência de imprensa realizada esta tarde, o autarca avançou que será criado um Núcleo Museológico da Imprensa Centenária de Ponta Delgada, “com o legado que”, de forma resiliente, “ainda subsiste e honra”.

Sem adiantar datas concretas, o presidente da câmara garantiu que o núcleo, que ficará no rés-do-chão de um edifício municipal de interesse histórico na Rua do Pedro Homem, abrirá “o mais depressa possível” e que já estão a ser feitos contactos para fazer “uma recolha do legado que subsistiu até aos dias de hoje”.

A ocasião serviu também para anunciar que, este ano, a Câmara Municipal de Ponta Delgada fará “a celebração do dia da cidade com a celebração da pluralidade de opinião, da liberdade da opinião (…) e do papel cultural e identitário que a imprensa centenária prestou a Ponta Delgada, a São Miguel, aos Açores e a Portugal”.

Assim, no dia 2 de abril serão atribuídas medalhas de ouro do município ao Diário dos Açores, que completou 150 anos em 05 de fevereiro e ao Correio dos Açores, que completa o centenário a 1 de maio.

A câmara decidiu, ainda, atribuir, a título póstumo, a Medalha de Mérito Municipal ao jornalista Gustavo Moura, que morreu a 9 de setembro de 2019.

Gustavo Moura iniciou a sua carreira em 1947, como colaborador desportivo do diário Açores, mas passou pelo semanário A Ilha, pela Emissora Nacional e pelo Correio dos Açores. Foi diretor do jornal Açores e do Açoriano Oriental, diário que dirigiu durante 21 anos, até 2000, e foi ainda correspondente em Ponta Delgada do Diário de Lisboa, do Mundo Desportivo, da AFP e da BBC.

Também o Açoriano Oriental, o mais antigo jornal português, terá o reconhecimento da câmara, com a colocação de placas evocativas na casa onde nasceu Manuel António de Vasconcelos, fundador do jornal, e no edifício onde este foi fundado.

O descerramento oficial das placas acontecerá em 18 de abril, data em que se comemora o 185.º aniversário da publicação.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.