Plataforma maritima assegura transporte de bovinos das Flores e Corvo

Plataforma maritima assegura transporte de bovinos das Flores e Corvo

 

AO Online/ Lusa   Regional   19 de Out de 2019, 19:40

O Governo regional dos Açores vai garantir o transporte de bovinos das Flores e do Corvo recorrendo ao fretamento de uma plataforma marítima com reboque, para ultrapassar as limitações atuais ao transporte de animais, devido à passagem do furacão "Lorenzo".

“Esta medida extraordinária justifica-se para assegurar o escoamento de cerca de 1.000 animais até ao final do ano e para reduzir a pressão sobre os alimentos disponíveis atualmente nestas ilhas, cujas pastagens foram fortemente afetadas pela salinidade, em virtude da passagem do furacão Lorenzo pelos Açores no início de outubro”, adianta uma nota do executivo açoriano enviada hoje, explicando a medida anunciada pelo secretário regional da Agricultura e Florestas.

Segundo a secretaria regional da Agricultura, "o transporte será efetuado logo que esteja reunida nos Açores a quantidade de contentores de transporte de animais necessária para garantir a retirada dos animais das duas ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) do arquipélago, prevendo-se que possa ocorrer na primeira semana de novembro".

Esta mesma plataforma "vai também garantir, na viagem para as Flores, o transporte de alimentos para os animais, como rações, concentrados e palhas, assim como adubos e outros bens de natureza agrícola", lê-se ainda na nota.

Citado na mesma nota o secretário regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, sublinha ser "a solução mais adequada e que dá a melhor resposta às preocupações dos agricultores e dos operadores económicos locais".

A passagem do furacão "Lorenzo" nos Açores, em 02 de outubro, provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros, segundo anunciou na segunda-feira o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

“No total, o furacão 'Lorenzo' provocou um prejuízo cujo valor se aproxima dos 330 milhões de euros em várias ilhas dos Açores, em áreas como infraestruturas portuárias e de apoio à atividade portuária, rede viária e outros equipamentos públicos, na habitação, nas pescas, na agricultura e no sector empresarial privado”, disse ainda o chefe do executivo regional, em conferência de imprensa, na segunda-feira.

Devido à passagem do furacão foram registadas 255 ocorrências, tendo o mau tempo obrigado ao realojamento de 53 pessoas.

No caso do Porto das Lajes das Flores, este ficou totalmente destruído, devido à passagem do furacão.

O Governo dos Açores anunciou também esta semana que o abastecimento à ilha das Flores vai ser reforçado a partir de novembro, com a introdução de uma segunda embarcação para o transporte de carga de modo a reforçar o abastecimento às ilhas do Grupo Ocidental (Flores e Corovo).



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.