Plano Tecnológico melhorou conectividade e qualificação de Portugal


 

Lusa/AO online   Economia   18 de Nov de 2008, 11:12

O Plano Tecnológico permitiu a melhoria da conectividade, da qualificação e da atractividade da economia portuguesa e tem actualmente em execução 163 medidas, disse à agência Lusa o coordenador nacional do plano, Carlos Zorrinho.
O responsável falava no dia em que se realiza o 7º Conselho Consultivo do Plano Tecnológico, que fará um balanço da execução do plano e serão apresentadas e analisadas as dimensões de ciência e tecnologia e saúde, contando para isso com as presenças do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, e do secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro.

    "Reforçar a qualificação, a cooperação e a produtividade", são para Carlos Zorrinho as actuais grandes prioridades do Plano Tecnológico que, defende, "ajudou a gerar um movimento que conjuga políticas públicas e iniciativas da sociedade civil, desenvolvido em torno de uma ambição comum de modernização do país, criando melhores condições para enfrentar os novos desafios económicos".

    Actualmente o plano tem em execução 163 medidas monitorizadas directamente e reportadas no relatório que será hoje entregue no Conselho Consultivo, onde se destacam também as "centenas de outras iniciativas desenvolvidas pela sociedade civil".

    Carlos Zorrinho disse que uma avaliação de impactos feita pelos professores João Caraça e Victor Corado Simões mostra que foram dados "passos significativos em domínios chave": reforço da sociedade em rede, a qualificação dos recursos humanos, as infra-estruturas de ciência e tecnologia, o empreendedorismo, o financiamento da inovação, as condições para a actividade económica e a capacidade empresarial.

    "Hoje o nosso país tem a segunda mais forte taxa de penetração de banda larga móvel da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), superior a 19 por cento, e uma das mais elevadas taxas globais de penetração de banda larga, superior a 34 por cento", afirmou.

    Além disso, afirmou, metade dos agregados familiares já dispõem de computador em casa e 46 por cento já estão ligados à Internet, 86 por cento dos quais com acesso à banda larga.

    O número de portugueses que recorrem ao comércio electrónico também "mais do que duplicou", assim como "o número de declarações de IRS enviadas pela via electrónica superou em 2007 e pela primeira vez o número de declarações enviadas em papel", disse Zorrinho.

    Há também mais qualificação e melhor ambiente para negócios, tendo sido criadas 60 mil novas empresas com o sistema "empresa na hora".

    O responsável considerou ainda que a criação e o desenvolvimento de Pólos de Competitividade e de "clusters" como uma "das medidas mais disruptivas e ousadas" e cujo sucesso garantirá a consolidação e a sedimentação da mudança competitiva que o plano pretende.

    Os temas específicos foram definidos tendo em conta as prioridades enunciadas pelos conselheiros e o conselho terá lugar no Centro de Reuniões da Feira Internacional de Lisboa.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.