Açoriano Oriental
Plano e Orçamento dos Açores para 2021 “sacrificam” futuro da região

O líder parlamentar do PS/Açores, Vasco Cordeiro, disse que o Plano e Orçamento da região para 2021 “sacrificam a sustentabilidade do desenvolvimento futuro” do arquipélago para garantir a “sustentação política” do Governo Regional PSD/CDS-PP/PPM.

Plano e Orçamento dos Açores para 2021 “sacrificam” futuro da região

Autor: Lusa/AO Online

Falando da tribuna da Assembleia Legislativa dos Açores, a propósito da discussão do Plano e Orçamento para 2021, o anterior presidente do executivo regional considerou que aqueles documentos “sacrificam a sustentabilidade do desenvolvimento futuro da região à necessidade de sustentação política do Governo” Regional.

“O Governo confunde o interesse da região com a soma dos interesses dos partidos que o compõem, mais dos partidos que o suportam, mais de alguns interesses corporativos, a que se juntam vozes mais ou menos próximas, mais ou menos reivindicativas”, criticou.

Na intervenção final, Vasco Cordeiro disse ser “cada vez mais evidente” a existência de uma atuação “concertada de criação” de cargos de nomeação política no executivo açoriano.

“Todos os dias os sinais avolumam-se, amontoam-se que a palavra de ordem parece ser ‘jobs for the boys’. E, receamos nós, a situação vai agravar-se ainda mais nos próximos tempos, depois de o Governo ter garantida a aprovação destes documentos”, afirmou o socialista.

Criticando a “postura” do Governo dos Açores ao longo do debate, Vasco Cordeiro salientou que o executivo “optou, consciente e deliberadamente, por não responder” às questões dos deputados, dando o exemplo da criação de tarifas a 60 euros para as viagens interilhas.

“Aquilo que o Governo não diz, aquilo que o Governo esconde, aquilo a que o Governo se recusou a responder, é quanto, para garantir essa tarifa de 60 euros, pagarão, através dos seus impostos, os açorianos que não viajam”, atirou.

Vasco Cordeiro disse ainda que numa “constrangedora inconsciência das oportunidades” ao dispor da região no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, o executivo “preferiu a pretensa, mas ilusória (...) cópia do que vinha de trás”.

“Ao invés da ousadia estratégica para o futuro da nossa região, o Governo Regional preferiu a comodidade imediata da tática simplista, na secreta, mas pouca disfarçada esperança que, assim, condicionaria o PS. É triste, sobretudo para os Açores”, afirmou Vasco Cordeiro, considerando que a realidade se “alterou radicalmente” no último ano.

Durante esta semana está a decorrer na Assembleia Regional, no Faial, a discussão do Plano e Orçamento dos Açores para 2021, que serão votados na sexta-feira.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados