Perturbações do sono agravadas pela crise


 

Lusa / AO online   Nacional   21 de Out de 2009, 15:57

Os casos de perturbações do sono têm vindo a aumentar em homens e mulheres entre os 40 e os 50 anos devido ao estilo de vida actual, agravado pela crise e pelo medo de perder o emprego, segundo uma especialista em medicina do sono.
“Fizemos um estudo em Figueiró dos Vinhos, que é um sítio sossegado do país, e a prevalência das insónias aumentou de cerca de 20 para 50 por cento desde 2001 até agora”, disse à Lusa a neurologista Teresa Paiva.

Os portugueses estão a viver uma “vida muito disparatada”, avalia a especialista, acrescentando que “a vida tem muito stress, as pessoas têm muitas responsabilidades e esquecem-se que para as cumprirem têm de cumprir horários e ter o corpo em condições”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.