Eleições regionais

PCP quer mais vozes no Parlamento regional

PCP quer mais vozes no Parlamento regional

 

Lusa/AOonline   Regional   13 de Out de 2008, 12:45

O líder regional do PCP-Açores, Aníbal Pires, exigiu esta terça-feira mais apoios para o comércio tradicional e para os pequenos empresários, pedindo mais vozes no parlamento regional para lá “da rosa desbotada e da laranja amarga”.
“O comércio, sobretudo o comércio tradicional, está a passar por grandes dificuldades, não só porque há menos volume de vendas mas também porque os apoios são direccionados para os grandes empresários e comerciantes”, criticou o cabeça de lista da CDU pela ilha de São Miguel e pelo novo círculo de compensação.

    “Para mudar é preciso pôr outras vozes lá no Parlamento, eles continuam a falar todos da mesma maneira: a rosa desbotada e a laranja amarga”, atacou Aníbal Pires, em conversa com dois homens do lixo, durante uma acção de rua na Ribeira Grande.

    Nos contactos com a população, o candidato da CDU encontrou uma professora - “uma colega”, já que Aníbal Pires também é professor em Ponta Delgada - deslocada nos Açores, apesar de ser natural de Viana do Castelo.

    Aníbal Pires ia questionando os populares se a situação nos Açores “estava próxima do paraíso, como defende Carlos César” e ia recolhendo respostas negativas.

    “Está tudo muito ruim, principalmente para os mais pequenos. Só está bom lá fora…”, dizia uma empregada de um mini-mercado da rua principal de Ribeira Grande.

    Também a dona de uma pequena retrosaria lamentou os poucos apoios aos comerciantes.

    “Nem sequer posso ter uma empregada, há dias em que nem abro a caixa, as pessoas estão sem dinheiro”, lamentou.

    O líder regional da CDU garantiu que, se conseguir o objectivo de ser eleito deputado a 19 de Outubro, o comércio tradicional e os pequenos empresários serão alvo da sua atenção.

    “O comércio tradicional acaba por ser importante para uma cidade como Ribeira Grande para que ela não seja descaracterizada”, defendeu.

    O candidato conseguiu deixar alguns folhetos na retrosaria - “para os clientes o verem” - mas não recebeu promessas de voto no próximo domingo.

    “Vamos ver, todos prometem mas ninguém cumpre, quando está a dar política já ninguém liga a televisão”, respondeu a dona da retrosaria.

    Enquanto a comitiva da CDU ia passeando a pé pelas ruas da Ribeira Grande, um carro do som do PS atravessava a cidade, com música do Quim Barreiros, o convidado especial do comício de hoje à noite de Carlos César no teatro Ribeiragrandense.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.