Pai Natal proibido de dar beijos

Pai Natal proibido de dar beijos

 

Lusa / AO Online   Nacional   6 de Dez de 2009, 08:16

No saco vermelho, o Pai Natal esconde este ano um presente diferente: um kit gripe A. Nos centros comerciais, o avozinho da Lapónia está proibido de dar beijos às crianças e os seus ajudantes são responsáveis por desinfectar sistematicamente a terra dos sonhos.

"Em vez de dar beijinhos às crianças, o Pai Natal vai mandar beijos pelo ar, dar apertos de mão e fazer vénias", explica à Lusa Susana Silva, gerente da Bee Action, uma empresa de animação de eventos. Dezenas de actores da Bee Action estão já a trabalhar em 13 centros comerciais de norte a sul do país fazendo as vezes de Pai Natal e de diabretes.

Na Bee Action, todos os actores tiveram formação especial com um professor de teatro sobre a personagem mais badalada do momento. Mas, este ano, a ameaça da gripe A (H1N1) obrigou a mudar os hábitos do velhinho de barbas. Agora, o Pai Natal traz "um kit antisséptico no saco" e passa o tempo a desinfectar as mãos. "Vai estar permanentemente a trocar de luvas ou a lavá-las com o desinfectante", descreve Susana Silva.

A gerente garante que a decisão de não dar beijinhos às crianças não vai criar a sensação de afastamento. "Os actores conseguem criar empatia mesmo sem estar fisicamente próximos", realça.

Caso se sintam adoentados, os Pais Natal são automaticamente substituídos. Para os centros comerciais da Sonae Sierra foram contratados 36 pessoas para cumprir este papel, que seguem à risca as regras. "Nos seus camarins têm ainda gel desinfectante", disse à Lusa fonte do gabinete de imprensa daquele grupo.

Mas o gel não é só para os colaboradores. Nos centros da Sonae Sierra há desinfectante também para distribuir pelos mais pequenos. E essa tarefa é uma responsabilidade dos ajudantes do Pai Natal, que este ano foram avisados de que teriam mais trabalho.

Além de lavarem as mãos "de hora a hora", têm a seu cargo a limpeza das superfícies na zona dos eventos, que "são permanentemente desinfectadas", lembra a responsável da empresa nortenha.

Metade dos espaços comerciais onde estão os Pais Natal da Bee Action pertence à Sonae Sierra, que enviou para a empresa um conjunto de recomendações da Direcção-Geral da Saúde. No entanto, Susana Silva garante que já tinha pedido aconselhamento a médicos e enfermeiros e que os planos de prevenção estão a ser aplicados em todos os espaços onde trabalham.

Também a Multi Mall Management, que gere 14 centros comerciais em Portugal, tem um plano de contingência para a gripe A que se aplica a todos os trabalhadores e colaboradores. Contando com "milhares de visitas diárias de crianças", a Multi Mall Management contratou cerca 150 pessoas, entre Pais Natal, fotógrafos, animadores e outros funcionários.

Estes eventos "não aumentam mais o perigo de contágio do que o já existe nas escolas", disse à Lusa a subdirectora-geral da Saúde, Graça Freitas, sublinhando a importância de aplicar as regras de higiene definidas.

Lembrando a importância de evitar os beijinhos e abraços, Graça Freitas garante que o risco de contágio é "pequeno" e que, por isso, as pessoas "devem gozar o Natal".

E a verdade é que, segundo Susana Silva, não se nota uma redução na afluência de crianças e há quem continue a tirar a já tradicional fotografia ao colo do Pai Natal sem medo do vírus.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.