Açoriano Oriental
Paços de Ferreira vence em Braga e acentua crise interna dos minhotos

 Um golo solitário, e polémico, de Douglas Tanque deu este domingo ao Paços de Ferreira uma sofrida vitória, fora, sobre o Sporting de Braga por 1-0, na 14.ª jornada da I Liga de futebol.


Autor: AO Online/ Lusa

O único golo da partida surgiu aos 38 minutos, através de um belo remate do avançado brasileiro do Paços de Ferreira, num lance contestado pelos responsáveis bracarenses por considerarem que, na génese da jogada, existe uma falta sobre Galeno que não foi sancionada nem pelo árbitro, nem pelo VAR.

O Sporting de Braga voltou à ‘cara' interna, tendo somado a segunda derrota consecutiva, a sexta em 14 jornadas, e os adeptos fizeram de questão mostrar o seu desagrado no final, mostrando lenços brancos ao treinador, Ricardo Sá Pinto, e contestando os jogadores.

A equipa, com seis alterações no ‘onze', vinha de um triunfo na Liga Europa (4-2, fora, ao Slovan Bratislava), na quinta-feira, carimbado o primeiro lugar do Grupo K e o excelente trajeto que tem feito nessa prova, mas tal como já tinha sido abordado por Sá Pinto e alguns jogadores, no campeonato tem tido muitas dificuldades em contornar algumas estratégias mais defensivas.

Já o Paços de Ferreira, que perdeu em casa na última jornada com o Vitória de Setúbal (3-2), obteve a primeira vitória fora de casa e apenas a terceira no campeonato.

A equipa da casa entrou a todo o ‘gás' e, logo aos sete minutos, João Novais cabeceou com muito perigo após centro de Sequeira. No minuto seguinte, Ricardo Horta rematou de pé esquerdo para grande defesa de Ricardo Ribeiro que, na sequência do canto, teve que se empenhar novamente para impedir o golo a Paulinho.

O Sporting de Braga queria decidir o jogo rapidamente, antecipando, talvez, alguma quebra física na segunda parte, mas perdeu intensidade demasiado cedo e o Paços de Ferreira equilibrou a contenda.

Aos 37 minutos surgiu um primeiro aviso, com Douglas Tanque a atirar por cima após assistência de Murilo, mas, logo a seguir, o avançado não perdoou com um remate cruzado, após assistência de Luiz Carlos e muito espaço concedido pela defesa bracarense.

Os responsáveis minhotos ficaram a pedir falta sobre Galeno, que parece existir, mas Fábio Veríssimo não atendeu às reclamações e validou o golo.

Na segunda parte, quase só deu Braga, mas a eficácia pedida por Sá Pinto na véspera voltou a não aparecer.

O treinador dos ‘arsenalistas' lançou Wilson Eduardo e Rui Fonte, aumentando a frente de ataque, e para os últimos 10 minutos Trincão, tendo Pepa respondido com Zé Uilton e, mais tarde, Dadashov e Oleg Reabciuk.

Aos 79 minutos, Wilson Eduardo rematou para grande defesa de Ricardo Ribeiro, aos 86 Ricardo Ribeiro, com o pé, tirou o golo a Paulinho e, no mesmo minuto, Pablo cabeceou por cima após canto.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.