"Os terceirenses e os militantes do CDS-PP Terceira merecem mais respeito e maior dignidade do CDS-PP Açores", diz comissão política de ilha

"Os terceirenses e os militantes do CDS-PP Terceira merecem mais respeito e maior dignidade do CDS-PP Açores", diz comissão política de ilha

 

AO Online   Regional   4 de Ago de 2019, 13:00

A Comissão Política da Ilha Terceira do CDS-PP manifestou-se profundamente surpreendida com a lista de candidatos que o Presidente do Partido nos Açores apresentou publicamente, para as eleições para a Assembleia da República, a 6 de outubro próximo.

A CPIT enviou uma nota à comunicação social onde explanou os motivos do descontentamento: "A surpresa resulta do facto de a representatividade das diversas ilhas na lista regional do Partido dever refletir o seu potencial eleitoral e do facto da preparação da lista dever ser orientada por critérios de qualidade, notoriedade e credibilidade, perante os eleitores dos Açores."

A nota adianta, ainda, que "Tradicionalmente, os nomes escolhidos de cada ilha têm o conhecimento ou até um entendimento prévio das estruturas de ilha, por forma a criar uma base de apoio e consenso o mais alargada possível. Desta vez, o Presidente do Partido nos Açores entendeu fazer a lista sem estabelecer qualquer contacto com a CPI Terceira. As ilhas onde o CDS-PP tradicionalmente obtém melhores resultados ou tem maior potencial eleitoral, costumam estar em lugares de destaque, concretamente Terceira, São Jorge e São Miguel. Ora, na lista em apreço, é incompreensível que a Ilha Terceira e as suas estruturas e militantes estejam somente representados no 7º lugar (segundo lugar dos suplentes), isto é, fora dos cinco candidatos efetivos, numa lista de dez elementos. Como se isso não bastasse, o primeiro candidato indicado da Ilha Terceira, fica até atrás da candidata da Juventude Popular. Nunca, desde as eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975, a ilha Terceira ficou tão mal representada numa eleição para a Assembleia da República, mais a mais, quando existem dossiers essenciais ao futuro desenvolvimento desta ilha que só podem ser tratados ao nível dos órgãos da República, nomeadamente no Parlamento nacional", diz a nota de imprensa.

Os centristas da comissão de ilha terceirense falam mesmo em desrespeito pela ilha de grande relevância política no partido: "Relembramos, a título exemplificativo, assuntos como a revisão do acordo de cooperação da Base das Lajes, o processo de descontaminação e as medidas previstas no PREIT. Isto já para não referir que, em eleições Legislativas Nacionais, por mais do que uma vez, o primeiro lugar da lista dos Açores foi assumido por militantes e dirigentes do CDS-PP Terceira, tendo sido, inclusive, um ilustre militante e dirigente terceirense o último a encabeçar esta lista. A Comissão Política da Ilha Terceira do CDS entende que esta ilha, os terceirenses e os militantes do CDS-PP Terceira merecem mais respeito e maior dignidade do CDS-PP Açores, por contraponto a esta situação em que o seu peso qualitativo foi ridicularizado nesta lista. Comissão Política da Ilha Terceira Saliente-se que, apesar da Comissão Política da Ilha Terceira repudiar a forma como a lista foi elaborada, observará os princípios de lealdade institucional para com o CDS-PP neste difícil e importante ato eleitoral que se aproxima".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.