Operário quer ganhar estatuto de tomba-gigantes na Reboleira

Operário quer ganhar estatuto de tomba-gigantes na Reboleira

 

Arthur Melo   Futebol   16 de Out de 2008, 11:43

O Operário disputa a terceira eliminatória da ainda Taça de Portugal no Estádio José Gomes, na Reboleira, sábado à tarde frente ao Estrela da Amadora.
Trata-se do reencontro entre equipas que em 1993 se defrontaram nos quartos de final da competição, tendo na altura o conjunto da Reboleira seguido em frente na competição, depois de uma vitória por 3-1 obtida no prolongamento.
Cláudio Abreu, o mais experiente jogador do plantel fabril - habituado a este tipo de confrontos -, recorda o passado e deixa um desejo para o futuro: eliminar a equipa de Lito Vidigal.
“Iremos tentar fazer melhor que em 1993 quando o Operário perdeu no prolongamento por 3-1. Desta vez é nossa intenção eliminar o Estrela da Amadora no decorrer dos 90 minutos”, disse o jogador no lançamento da semana em que a equipa prepara o desafio em declarações reproduzidas no site oficial dos fabris.
O “capitão” de equipa realça que o favoritismo está do lado do Estrela da Amadora mas os jogadores do Operário , sublinha, têm os seus trunfos para conseguir um resultado positivo no Estádio José Gomes.
“O favoritismo está do lado do Estrela da Amadora, uma equipa da Liga Sagres, mas terá de contar com a nossa ambição e motivação que serão os trunfos que poderemos ter a nosso favor para, com humildade e determinação, discutirmos a eliminatória e tentarmos a surpresa”.
No actual grupo de trabalho dos lagoenses são poucos os atletas que já tiveram a oportunidade de defrontar equipas do primeiro escalão pelo que, do alto da sua reconhecida experiência, deixa alguns conselhos aos companheiros mais inexperientes.
“O que eu posso dizer é para se sentirem tranquilos. Nos primeiros dois ou três minutos sentirão um nervoso miudinho mas depois desaparece. Essencialmente estarem tranquilos e colocarem muita determinação para conseguirmos superar este adversário”, finaliza Cláudio Abreu.
Nesta altura, e em vésperas da deslocação para Lisboa, Francisco Agatão tem duas dúvidas para a partida com o Estrela da Amadora: o central Hector e o avançado Fabrício.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.