Sociedade

ONU precisa de mais de 5 mil milhões de euros para garantir ajuda humanitária


 

Lusa/AOonline   Internacional   19 de Nov de 2008, 15:04

A ONU precisa de mais de cinco mil milhões de euros para garantir ajuda humanitária a 30 milhões de pessoas em 31 países em 2009, no maior apelo alguma vez feito pela organização à comunidade internacional.
O pedido para a captação de fundos, lançado em Genebra esta quarta-feira, está focado em 12 casos concretos: República Centro-Africana, Chade, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Iraque e região, Quénia, Territórios palestinianos ocupados, Somália, Sudão, Uganda, a região da África Ocidental e o Zimbabué.

    Entre estes casos e segundo os dados das Nações Unidas, as situações mais urgentes e que necessitam de maior canalização de fundos são o Sudão (1,6 mil milhões de euros), a Somália (726 milhões de euros), a República Democrática do Congo (642 milhões de euros), o Zimbabué (434 milhões de euros) e o Iraque e região (432 milhões de euros).

    Este ano, o apelo humanitário da ONU teve uma base inicial que rondou os três mil milhões de euros.

    "O nosso objectivo é ajudar as pessoas mais vulneráveis a sobreviverem durante o próximo ano e permitir que escapem às dificuldades e ao desespero, de forma a terem direito à dignidade, à segurança e à auto-suficiência, como todos os seres humanos", declarou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, numa mensagem hoje divulgada.

    Na mesma nota, Ban Ki-moon pediu para que todos os doadores da comunidade internacional respondam ao apelo apesar da actual crise financeira.

    "A crise financeira mundial suscitou inevitavelmente uma redução nas doações para a acção humanitária para 2009. Exorto os Estados-membros e os doadores privados para que garantam que nada será afectado", referiu o responsável.

    De acordo com as Nações Unidas, as necessidades do próximo ano vão ser "pelo menos tão grandes como em 2008 e, provavelmente, maiores" porque o mundo "continua a enfrentar uma crise alimentar mundial, os efeitos das alterações climáticas e os conflitos de longo prazo que provocam muita miséria humana".

    No final deste ano, a verba total dos apelos humanitários das Nações Unidas vai atingir os cinco mil milhões de euros, dos quais a organização recebeu 3,7 mil milhões de euros, ou seja, cerca de dois terços do montante pedido.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.