Obras Públicas com nova rede de telecomunicações nos Açores


 

Lusa/AO online   Regional   22 de Mai de 2019, 14:39

Uma centena de rádios distribuídos por São Miguel e Santa Maria entraram hoje ao serviço da rede de telecomunicações da Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores, "um instrumento poderoso" para otimizar recursos e apoio a emergências.

“É um instrumento poderoso para as Obras Públicas, não só para a operacionalização do seu dia a dia, mas é também um sistema indispensável no âmbito das atribuições das obras públicas no Sistema Regional de Proteção Civil e no âmbito dos planos municipais de proteção civil”, afirmou a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas do Governo dos Açores, Ana Cunha.

A governante falava aos jornalistas em Ponta Delgada após a apresentação do SIPCOM - Sistema de Informação de Posicionamento e Comunicações, uma rede que permite assegurar as comunicações internas, com confidencialidade e comunicações seguras.

Ana Cunha explicou que "os equipamentos já estão a funcionar há cerca de um mês em Santa Maria e São Miguel", com "resultados muito positivos", e "entraram hoje operacionalmente ao serviço", num total de 100 rádios que foram distribuídos por pessoas, máquinas e viaturas".

Contudo, o objetivo é "alargar até final do ano a cobertura às restantes ilhas", perfazendo assim um total de "200 equipamentos", acrescentou.

Segundo Ana Cunha, esta nova rede de telecomunicações "pode, a qualquer momento, ligar-se ao sistema que existe na Proteção Civil dos Açores", por se tratar da "mesma plataforma".

“O sistema que existia anteriormente já tinha algumas fragilidades e estava um pouco ultrapassado em termos de evolução”, justificou a secretária regional, destacando como mais valias do SIPCOM "a georreferenciação" e "a garantia de comunicações independentes de qualquer operador externo".

Além de ser "uma ferramenta poderosa para o dia a dia das Obras Públicas" para "a melhor gestão dos seus meios, viaturas, máquinas e homens", a governante frisou ainda que "a todo o momento através da georreferenciação é possível saber a localização dos meios" e fazê-los deslocar para situações mais urgentes.

As Obras Públicas têm no terreno "uma função fundamental em caso de qualquer incidente, independentemente do seu nível de gravidade, desde a obstrução de uma via a outras ocorrências", lembrou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.