Obama admite adiar encerramento de Guantánamo


 

Lusa / AO online   Internacional   18 de Nov de 2009, 15:36

O Presidente dos Estados Unidos reconheceu esta quarta-feira, pela primeira vez, que o centro de detenção de Guantánamo, não poderá ser encerrado na data prevista, final de Janeiro, como se tinha comprometido ao ser eleito.
«Sobre Guantánamo, tínhamos uma data limite específica que falhámos», declarou Barack Obama, questionado pelo cadeia de televisão norte-americana sobre a data de encerramento do campo.

Alguns dias depois de chegar à Casa Branca, Obama ordenou o encerramento em Janeiro de 2010 do centro de detenção da base norte-americana de Guantánamo, em Cuba, uma medida que sublinhava a sua vontade de romper com as políticas controversas do seu antecessor George W. Bush.

Um total de 215 detidos continua em Guantánamo, que recebe suspeitos de terrorismo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.