“O ‘peso’ do Governo Regional sobrepõe-se demasiado ao parlamento”

“O ‘peso’ do Governo Regional sobrepõe-se demasiado ao parlamento”

 

Cristina Pires/Rui Jorge Cabral   Regional   11 de Jan de 2019, 08:51

António Lima, coordenador do BE/Açores diz que é preciso tornar o trabalho parlamentar mais visível aos cidadãos, criticando o ‘peso’ que as maiorias absolutas do PS dão ao governo. Em entrevista à Rádio Açores/TSF, só admite acordos com o PS após as eleições regionais de 2020

António Lima é desde julho de 2018 o coordenador do Bloco de Esquerda (BE) nos Açores, uma experiência que diz estar a ser gratificante e de “bastante trabalho”, quer a nível interno no partido, nesta fase de transição após a liderança ‘histórica’ de Zuraida Soares, quer ao nível do parlamento açoriano, com o Plano e Orçamento do Governo dos Açores para 2019 a marcar a sua primeira grande intervenção política na liderança dos bloquistas açorianos. “Construir Esquerda nos Açores” é o seu lema.

Chegar à liderança do Bloco de Esquerda nos Açores era uma ambição sua ou foi um processo natural?
Julgo que foi um processo natural... Pessoalmente, não tinha esta ambição e foi através da intervenção crescente que fui tendo nos órgãos concelhios, de ilha e na própria direção regional do partido, que fui vendo que essa possibilidade existia. Perante um novo contexto, decidi avançar, obviamente com o apoio dos meus camaradas, que foi fundamental para chegar até aqui e assumir esta responsabilidade para com os militantes do Bloco de Esquerda e para com todos os que simpatizam com as nossas ideias e propostas.


Leia na íntegra a entrevista a António Lima, coordenador do BE/Açores, na edição desta sexta-feira, 11 janeiro 2019


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.