Número de trabalhadores com salários em atraso subiu 148% para quase 18 mil

Número de trabalhadores com salários em atraso subiu 148% para quase 18 mil

 

Lusa/AO online   Economia   21 de Nov de 2012, 09:02

O número de trabalhadores com salários em atraso em Portugal cresceu 148,6% até à semana passada, aumentando de 7.166 para 17.813, com uma dívida total superior a 6 milhões de euros.

De acordo com um documento informativo distribuído pelo Governo na concertação social, em 15 de novembro as dívidas salariais registadas a trabalhadores eram de 6.241.050 euros, mais 93,5% que em dezembro de 2011, data em que o total em divida era de 3.224.838 euros.

A mesma informação, recolhida pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), refere que a meio deste mês 1.519 empregadores deviam salários, o que representa um acréscimo de 114,9% face a 2011, em que este número era de 707 empregadores.

No âmbito da sua ação inspetiva a ACT detetou dívidas à Segurança social no valor de 1.129.787 euros, o que equivale a um decréscimo de 2,8% relativamente a 2011, em que o valor detetado foi 1.162.170 euros.

Quando os salários em atraso resultam de situações de insolvência ou de situação económica dificil das empresas, os trabalhadores podem recorrer ao Fundo de Garantia Salarial.

De acordo com dados do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social, também distribuidos na reunião de concertação social de hoje, em 2011 recorreram a este Fundo 20.858 trabalhadores, para receber um total de 112.490.599 euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.