Migrações

Número de imigrantes nos países da OCDE caiu em 2008


 

Lusa/AO online   Nacional   15 de Dez de 2010, 15:02

O número de imigrantes permanentes nos países da OCDE baixou em 2008 pela primeira vez em cinco anos, situando-se nos 4,4 milhões, revela um relatório da organização, que atribui a retracção dos fluxos migratórios à crise económica.
A análise geral sobre migração internacional de 2010, apresentada esta quarta-feira em Lisboa, refere que a "imigração legal de tipo permanente baixou 06 por cento em 2008 [...] após cinco anos de aumento médio de 11 por cento" e estima que o decréscimo dos fluxos continuou em 2009.

O número dos trabalhadores temporários imigrantes baixou também na ordem dos 04 por cento, tendo chegado aos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) nesse ano 2,3 milhões de trabalhadores.

"A imigração de trabalho temporário foi dos primeiros canais de imigração a ser afectado pela recessão económica", refere o relatório.

Jean-Pierre Garson, responsável da divisão de migrações internacionais da OCDE, que apresentou o relatório, disse aos jornalistas que os países que registaram mais quebras foram os que receberam mais imigrantes em anos anteriores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.