Nações Unidas elegem 02 de novembro Dia Internacional de Proteção dos Jornalistas


 

Lusa/AO Online   Internacional   27 de Nov de 2013, 07:20

Um comité das Nações Unidas votou a favor da criação de um dia internacional de proteção aos jornalistas - 02 de novembro -, numa altura em que muitos ativistas condenam o número crescente de baixas em serviço destes profissionais.

 

O grupo Repórteres Sem Fronteiras aplaudiu a iniciativa e sublinhou que 89 jornalistas foram mortos em trabalho em 2012, o número mais alto nas últimas duas décadas.

O comité para os Direitos Humanos da Assembleia-Geral das Nações Unidas votou, unanimemente, a instauração do dia 02 de novembro como a data anual para assinalar o 'Dia Internacional Para Pôr Fim à Impunidade nos Crimes Contra Jornalistas'.

A data de 02 de novembro foi simbolicamente escolhida, em memória dos jornalistas franceses Ghislaine Dupont e Claude Verlon, mortos este ano nesse dia, por rebeldes no Mali.

Mais de 70 países coapoiaram uma resolução que apela aos Estados-membros das Nações Unidas para “darem o seu máximo na prevenção da violência contra jornalistas” e para levaram a cabo “investigações imparciais, rápidas e efetivas” relativamente aos ataques contra os profissionais dos Media.

O secretário-geral dos Repórteres Sem Fronteiras, Christophe Deloire, afirmou, citado pela agência de notícias francesa AFP, que, desde o início de 2013, já foram mortos em serviço 52 jornalistas.

“A segurança dos jornalistas é um pré-requisito essencial para atingir a liberdade de expressão, a democracia, o desenvolvimento social e a paz”, declarou.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.