Açoriano Oriental
Morreu o homem que dava luz às festas do Santo Cristo

Humberto Moniz faleceu ontem aos 88 anos. Foi o grande obreiro da iluminação das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, função que desempenhou durante mais de 60 anos

Morreu o homem que dava luz às festas do Santo Cristo

Autor: Paulo Faustino

Faleceu quinta-feira aos 88 anos Humberto Moniz, conhecido como ‘o Homem das Luzes’ das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, função que desempenhou de forma icónica durante mais de seis décadas.

Humberto Moniz começou a ajudar na organização das maiores festas religiosas dos Açores ainda criança (desde os 12 anos). Mas foi aos 19 anos, quase a terminar o curso de eletricista na Escola Industrial (atual preparatória Roberto Ivens), aproveitando a ida para a América do mestre responsável pelas luzes do Santuário, que viria a ‘agarrar’ esse lugar e depois a afirmar-se como o timoneiro da iluminação das grandes festas do ‘Ecce Homo’, trabalho que deixou de fazer em 2018.

A  evolução da iluminação do Santuário da Esperança fez-se com ‘o Homem das Luzes’ desde os anos 50 do século passado, quando eram 7600 lâmpadas, até à atualidade, em que já ultrapassam as 160 mil.

Dizia que ver o Santuário todo iluminado “não é brincadeira de rapazes”. Da mesma forma que também não escondia a sua mágoa quando aquelas luzes se apagaram durante a pandemia de Covid-19.

O relicário, a roda iluminada que fica no torreão da Igreja do Senhor Santo Cristo, era uma peça com uma auréola especial para si, tendo inclusive desenhado nele a insígnia papal em 1991, aquando da passagem do Papa João Paulo II por Ponta Delgada.

Num comunicado de pesar, o provedor da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres refere-se a Humberto Moniz de forma “eternamente” grata, enaltecendo-o como “um irmão e trabalhador único, incansável e sempre disponível ao serviço das mais diversas atividades da nossa Irmandade, tendo sido nas últimas décadas o grande obreiro das iluminações singulares das grandes festas do Senhor Santo Cristo”. Carlos Faria e Maia lidou com Humberto Moniz durante vários anos e, em honra da sua memória, expressou - em nome da Irmandade - “o nosso sincero agradecimento por toda a sua simpatia, dedicação e profissionalismo sempre demonstrados ao serviço da causa da nossa Irmandade e da nossa comunidade”.

Humberto Moniz foi presidente do Clube Desportivo Santa Clara nas épocas de 1980/81 e 1981/82. Antes disso, teve longos anos de dirigismo, muitos deles como responsável pelo futebol sénior do clube.

O seu funeral realiza-se esta sexta-feira após missa de corpo presente às 9 horas no Santuário da Esperança, seguindo para o Cemitério de São Joaquim.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados