Açoriano Oriental
MiratecArts 'cospe fogo' no ponto mais alto de Portugal

Janeiro é o mês de arte e aventura na temática cultura montanhosa com o Montanha Pico Festival. A subida ao ponto mais alto de Portugal, a montanha do Pico, é um dos eventos mais cobiçados na secção de aventuras com arte no programa da MiratecArts.

MiratecArts 'cospe fogo' no ponto mais alto de Portugal

Autor: Susete Rodrigues/AO Online

De acordo com comunicado, ma edição deste ano, a sexta do festival internacional, o luso-francês Christophe Kerbourch tem a honra de liderar o público na escalada, agendada para o dia 12 de janeiro, para apresentar uma performance especial que abrange as suas raízes circenses: o cuspir fogo e outras surpresas, ao topo da montanha.

Depois de dois anos com a companhia de dança Splash, onde foi campeão europeu de Vive tu Sueno, Christophe juntou-se ao Chapitô aos 18 anos, onde se apaixonou pelas artes circenses. Tornou-se num acrobata de solo, apaixonado das alturas agarrado ao mastro Chinês, um ilusionista graças à manipulação da bola de contato e um domador de fogo.

Para fazer parte deste evento especial, que tem o apoio dos guias da ATÍPICO e Épico, o público inscreve-se através de info@mirateca.com providenciando nome e telefone, para receber todos os detalhes necessários a preparar para a aventura.

Todos os domingos de janeiro, pelas 15 horas, há o chá na Casa da Montanha para conhecer artistas participantes e conversar sobre assuntos pertinentes aos temas do festival.

Além de Christophe, outros artistas em residência com a MiratecArts, durante o Montanha Pico Festival, inclui-se a fotógrafa Austéja Liu (Lituânia), o cineasta Toma Zidic (Croácia), o pintor Ibrahim Md (China), a bailarina Sofia Santos (Portugal) e o artista brasileiro Matheus Hobold Sovernigo, que recebeu o Prémio do Diretor Artístico da MiratecArts, Terry Costa.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.