Meyong comanda Vitória de Setúbal nos Açores sem intenção de ficar como treinador


 

Lusa/AO Online   Futebol   31 de Out de 2019, 07:15

Meyong, treinador interino do Vitória de Setúbal, vai liderar a equipa técnica dos sadinos na visita ao Santa Clara, esta quinta-feira, em jogo a contar para a nona jornada da I Liga de futebol.

Em conferência de imprensa, o sucessor de Sandro Mendes, que vai comandar a equipa depois de o antigo treinador ser despedido após o empate (0-0) com o Marítimo, garante não ter como objetivo ter outro cargo na estrutura que não o de adjunto.

"Estou cá só para um jogo ou dois, no máximo. Não tenho intenção de ficar como treinador principal. Pediram-me para levar a equipa aos Açores. Não sei mais nada. Sou empregado do clube e faço o que me pedem. Gosto muito do Vitória e estou disposto a fazer tudo para honrar este símbolo", sublinhou.

Questionado sobre a forma como recebeu a notícia da saída de Sandro Mendes, o camaronês, de 39 anos, confessa ter ficado surpreendido com a decisão.

"A verdade é que não estava à espera. O Sandro é um colega e um amigo. Foi, é e vai continuar a ser um símbolo do clube. No tempo que esteve cá fez um bom trabalho. Conseguiu a permanência e a equipa, em termos de classificação, não está assim tão mal. É uma opção da direção que não vou comentar. Enquanto cá esteve o Sandro fez o seu trabalho e deu tudo o que tinha para dar. Não tenho mais nada para comentar", disse.

Meyong, detentor do Nível I do curso de treinador, assegura que a mudança no comando técnico não vai gerar instabilidade na equipa.

"O balneário não se pode deixar afetar com esta situação. Somos todos profissionais, os jogadores sabem qual o seu trabalho e vão continuar a fazê-lo como até aqui. Pelo que vi nas muitas conversas que tivemos, os jogadores estão bem e estão motivados. Isso é o mais importante para mim", vincou.

Sobre a forma como trabalhou a equipa nos quatro dias que leva à frente do grupo, Meyong revela ter dialogado muito com os jogadores.

"A semana foi mais de conversa do que treino. Os processos já nós temos. Com o tempo que tive também não há tempo para fazer grandes coisas. O mais importante é o aspeto mental porque a cabeça é que manda no corpo. Se a cabeça estiver bem, rende-se mais. Os jogadores passaram-me a ideia de que estão bem e, por isso, estou satisfeito e confiante para amanhã [quinta-feira]", referiu.

O antigo avançado, que em Portugal representou Vitória de Setúbal, Belenenses e Sporting de Braga, já tem uma ideia sobre como pretende que a equipa atue diante dos açorianos.

"Quero os jogadores alegres e que desfrutem do futebol. Têm uma profissão boa. Quando jogava gostava muito, eles têm de jogar e divertir-se porque só assim podem ter mais rendimento. Queremos conseguir um bom resultado. O Santa Clara tem uma boa equipa, sabemos com quem vamos jogar e estamos bem preparados. Vamos lá para fazer golos e ganhar. Dou essa garantia", finalizou.

O Vitória de Setúbal, que ocupa a 13.ª posição com oito pontos, e o Santa Clara, 10.º com 11, defrontam-se esta quinta-feira, às 19h15, no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.