Maria João Rodrigues (PS) acusa conservadores de travarem combate às desigualdades


 

Lusa/Ao online   Nacional   8 de Dez de 2018, 11:48

A eurodeputada socialista Maria João Rodrigues acusou este sábado os blocos conservador e nacionalista de travarem políticas de combate às desigualdades sociais na União Europeia, após anos de "austeridade cega".

Maria João Rodrigues, ministra no primeiro Governo liderado por António Guterres (1995/199), fez estas críticas na abertura do segundo e último dia de Congresso do Partido Socialista Europeu (PSE), em Lisboa.

A eurodeputada socialista considerou que as crescentes desigualdades sociais na União Europeia tiveram origem "numa política de austeridade cega imposta como resposta às crises financeira e do euro".

"Em resultado destas desigualdades sociais, temos agora um novo adversário, que tem como discurso a ideia de que a União Europeia não funciona, não serve e que a solução é voltar às fronteiras nacionais. O PSE tem de responder que defende uma outra Europa", sustentou a antiga ministra socialista.

Perante os delegados do PSE, Maria João Rodrigues defendeu que o princípio da coesão económica e social "tem de ser efetivamente uma prioridade na agenda União Europeia, mas essas políticas de justiça social estão a ser travadas pelos conservadores".

"Os conservadores resistem a medidas sociais para o combate às desigualdades, como as taxas na economia digital, para as transações financeiras e para a sustentabilidade ambiental", acrescentou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.