Malparado dos particulares volta a aumentar em Outubro

Malparado dos particulares volta a aumentar em Outubro

 

Lusa/AO Online   Economia   23 de Dez de 2009, 10:01

O valor do incumprimento no crédito concedido aos particulares aumentou 131 milhões de euros em Outubro face a Setembro, quando caiu pela primeira vez em oito meses, indicou hoje o Banco de Portugal.

No Boletim Estatístico divulgado hoje, o regulador indica que o malparado subiu para os 3.777 milhões de euros em Outubro, dos 3.646 milhões de euros registados em Setembro.

Em Setembro, o incumprimento havia registado a primeira quebra após oito meses consecutivos a aumentar.

Por sua vez, o crédito concedido subiu para os 136.017 milhões de euros em Outubro, mais 470 milhões de euros do que o valor concedido em Setembro.

O malparado na habitação continua a representar mais de metade do total do incumprimento, 50,3 por cento, com 1.900 milhões de euros de incumprimento em Outubro (aumentou 46 milhões de euros), num total de 108.088 milhões de euros concedidos para estes efeito (aumento de 423 milhões de euros).

O consumo segue em segundo lugar, com 1.049 milhões de incumprimento em Outubro (mais 44 milhões de euros), em 15.436 milhões de euros concedidos para este efeito (mais 34 milhões de euros).

A grande diferença entre o malparado no crédito com destino ao consumo e no destinado à compra de habitação é mesmo o peso relativamente ao total emprestado para cada um dos efeitos e a sua evolução: o malparado no consumo representa 6,79 do concedido para este efeito e subiu mais do que o valor emprestado para este efeito, enquanto que o malparado no crédito à habitação representa 1,75 do concedido.

No crédito concedido para 'outros fins', as noticias não são muito mais animadora: o crédito concedido em Outubro aumentou 14 milhões de euros (para 12.493 milhões de euros) face a Setembro, mas o aumento do incumprimento foi o triplo do aumento dos empréstimos, mais 42 milhões de euros do que em Setembro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.