Mães dos Açores formam associação com fins solidários

Mães dos Açores formam associação com fins solidários

 

Lusa/AO online   Regional   17 de Out de 2013, 16:12

Um grupo de mulheres originárias de todas as ilhas dos Açores formou esta semana a Associação Mães Açorianas (AMA) na sequência da criação de uma página na rede social Facebook, que conta com 2360 subscritoras.

“A AMA nasceu em março através da formação de um grupo na rede social Facebook para apurar até que ponto as mães nos Açores estariam na disposição de se envolverem em projetos de solidariedade social”, explicou Lara Kloosterboer, uma das fundadoras da associação.

Lara Kloosterboer especificou que “obviamente”, no grupo, o “grande mote” é a “partilha de experiências”, de “dúvidas” e “medos” que estas mulheres possuem enquanto mães, a par da partilha de opiniões e ajuda nas áreas da saúde e educação, entre outras.

“Há uma grande partilha entre nós e fomo-nos apercebendo que as mães começaram com muitos pedidos de ajuda desde trabalho, alimentos, roupa para crianças e para senhoras à espera de bebé e material escolar. Começou a haver uma grande solidariedade no grupo que fez com que tivéssemos optado pela criação da AMA”, disse.

O grupo, formalizado juridicamente esta semana, começou com 16 associadas fundadoras e está agora a avançar uma campanha junto de todas as pessoas que se queiram tornar associadas, o que implica o pagamento duma quota de 25 euros anuais que reverte para uma instituição.

“Todos os meses, a partir de janeiro, nós vamos enviar uma nota às associadas que irão sortear a associação para a qual reverte as quotas a cada mês”, refere Lara Kloosterboer.

A 21 de outubro, a AMA vai promover a sua primeira brigada, em parceria com um laboratório de Ponta Delgada, visando angariar futuros dadores de medula óssea, esperando a colaboração de cerca de 100 pessoas.

Até ao final do ano a AMA vai recolher tampas e caricas com a colaboração de escolas, juntas de freguesia, restaurantes e cafés, a par de um arraial, nas Portas do Mar, visando a angariação de fundos.

“Vamos também criar um projeto familiar em que os agregados vão criar com os seus filhos e netos bonecos a partir de meias e luvas para no dia 25 de dezembro oferecerem aos lares de acolhimento de crianças e nos hospitais com uma mensagem de amor e esperança”, revela Lara Kloosterboer.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.