Lista às europeias só será negociada após congressos do CDS-PP e PSD

Lista às europeias só será negociada após congressos do CDS-PP e PSD

 

Lusa/AO Online   Nacional   10 de Dez de 2013, 05:31

O porta-voz dos sociais-democratas, Marco António Costa, afirmou hoje que a lista conjunta do PSD e CDS-PP às eleições europeias de 25 de maio só será negociada após os congressos dos dois partidos.

Em conferência de imprensa, na sede nacional do PSD, em Lisboa, Marco António Costa referiu que as eleições europeias são "um tema que será abordado naturalmente pelos dois líderes nas moções que apresentarão aos respetivos congressos".

"Antes da eleição dos novos órgãos políticos do PSD seguramente não haverá nenhuma negociação efetivada com quem quer que seja relativamente a listas, conteúdos de listas e a matérias que sejam conexas com esse tema", acrescentou.

O CDS-PP tem um congresso eletivo marcado para 11 e 12 de janeiro, enquanto o PSD deverá aprovar esta quarta-feira a realização de diretas para a liderança do partido a 25 de janeiro e de um congresso nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro para eleger os restantes órgãos nacionais.

Segundo o coordenador e porta-voz da direção nacional do PSD, "é completamente extemporânea e prematura qualquer conversa concreta sobre nomes ou sobre listas em concreto até ao final dos dois congressos e obviamente num período muito antecipado relativamente à entrega das listas", que "terão de ser apresentadas em abril".

Contudo, de acordo com Marco António Costa, "tem havido conversas entre o PSD e o CDS" sobre o tema das eleições europeias "e sobre muitos outros temas, como é natural".

O porta-voz dos sociais-democratas assegurou que "entre os dirigentes dos partidos não existem razões para nenhum tipo de divergências".

"É público e foi declarado no verão passado que os dois partidos, os dois líderes acordaram apresentar listas conjuntas. Tudo o resto que possa ser dito sobre esta matéria não passa de mera especulação e da nossa parte não merece nenhum tipo de alimentação e nenhum tipo de comentário suplementar", declarou.

Questionado se o PSD pode rever o compromisso de coligação pré-eleitoral nas europeias, Marco António Costa respondeu: "Se há característica que o líder do PSD tem é ser é um homem de palavra e, portanto, manterá a palavra dada e sobre essa matéria não existe a mínima dúvida entre os dois líderes".

Interrogado se espera que o CDS-PP mantenha esse compromisso, retorquiu: "Não existe a mínima dúvida".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.