Líder supremo iraniano considera que conferência de Annapolis "será um fracasso"


 

Lusa/AO   Internacional   26 de Nov de 2007, 08:11

O líder supremo iraniano, ayatollah Ali Khamenei, apoiou hoje as críticas do Presidente do Irão, Mahmud Ahmadinejad, à conferência de terça-feira em Annapolis, Estados Unidos, ao considerar que esta “será um fracasso”.

Num discurso perante milhares de paramilitares iranianos, Khamenei defendeu que a “América (Estados Unidos) está a tentar legalizar a entidade sionista através da realização desta conferência, mas sabe muito bem que fracassará”.

    “Podemos dizer que esta reunião já é um fracasso antes de se realizar”, sublinhou o líder iraniano.

    Por outro lado, Khamenei reiterou que Teerão “não se sujeitará às pressões” em relação ao programa nuclear e “continuará com o desenvolvimento científico”.

    As declarações do máximo dirigente iraniano surgem depois do Presidente do Irão ter lamentado, durante uma conversa telefónica com o rei da Arábia Saudita, a decisão de Riade e de outros países árabes de participar na conferência de Annapolis.

    O Irão, considerado o maior apoio dos grupos radicais palestinianos, bem como da milícia libanesa xiita Hezbollah, não reconhece o Estado de Israel, não tem relações diplomáticas com os Estados Unidos e considera que estes dois países são os seus principais inimigos.

    A Arábia Saudita, berço do Islão e país onde estão os locais mais sagrados para os muçulmanos em todo o mundo, decidiu participar na reunião com outros países árabes como o Egipto, a Jordânia e a Síria, para tentar desbloquear as negociações de paz entre palestinianos e israelitas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.