Açoriano Oriental
Kiev insiste na entrega das caixas negras de avião abatido por Irão

Kiev vai insistir para que Teerão lhe entregue as caixas negras do avião comercial ucraniano abatido pelo Irão em negociações, esta segunda-feira, com um ministro iraniano em visita à Ucrânia, indicou a diplomacia ucraniana.

article.title

Foto: EPA/ABEDIN TAHERKENAREH
Autor: Lusa/AO Online

O ministro dos Transportes iraniano, Mohammad Eslami, chegou à Ucrânia para “apresentar desculpas oficiais” e Kiev espera poder “discutir problemas práticos, como a devolução das caixas negras”, indicou à imprensa o chefe da diplomacia ucraniana, Vadym Prystaiko.

“Exigimos que estas caixas nos sejam entregues, é deste modo que o Irão vai provar estar disposto a um diálogo aberto e a uma investigação imparcial”, adiantou o ministro ucraniano.

Eslami é recebido à tarde pelo Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, indicou à agência France-Presse a presidência ucraniana.

Na sexta-feira, Prystaiko tinha assegurado que Teerão estava “pronto” para entregar a Kiev as caixas negras do Boeing ucraniano, mas o Irão recuou.

“Vamos tentar decifrar as caixas negras no Irão e depois as nossas opções são a Ucrânia e a França. Mas no momento não planeamos enviá-las para outro país”, indicou o diretor do gabinete de investigação da organização iraniana da aviação civil, Hassan Rezayifar, segundo a agência iraniana IRNA.

Após três dias de desmentidos, as forças armadas iranianas reconheceram a 11 de janeiro ter abatido “por erro” o Boeing 737 da Ukraine International Airlines alguns minutos depois da sua descolagem em Teerão. Os 176 ocupantes do avião, na maioria iranianos e canadianos, morreram.

No domingo, os corpos das 11 vítimas ucranianas do acidente, entre as quais os nove membros da tripulação, foram repatriados para Kiev.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.