Ismail Uzun retira queixa-crime de burla qualificada

Ismail Uzun retira queixa-crime de burla qualificada

 

Nuno Martins Neves   Futebol   29 de Abr de 2019, 09:01

É mais um episódio na luta pelo controlo da SAD do Santa Clara: pouco menos de um mês depois do empresário turco Ismail Uzun ter apresentado uma queixa-crime contra o antigo presidente do clube Mário Batista por suspeita de fraude na venda das ações da sociedade anónima desportiva, as duas partes chegaram a acordo.

Para perceber um pouco o que está em causa, é preciso recuar até 18 de outubro de 2016, altura em que Mário Batista vendeu a Ismail Uzun 46,6 por cento das ações do capital social do Santa Clara Açores - Futebol SAD. 13 dias depois, a Assembleia-Geral (AG) da SAD delibera pela perda a favor da sociedade das 23.800 ações do antigo dirigente.

Seguiu-se uma providência cautelar apresentada por Batista às deliberações daAG, considerada válida pelo tribunal, bem como uma ação judicial a requerer a anulação das decisões tomadas pelos acionistas.



Ler mais na edição desta segunda-feira, 29 abril 2019, do jornal Açoriano Oriental




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.