Inflação deverá ficar em 2,3% ou 2,4% em 2007

Inflação deverá ficar em 2,3% ou 2,4% em 2007

 

Lusa / AO online   Economia   2 de Nov de 2007, 10:56

A inflação média em Portugal poderá ficar este ano em 2,3 por cento ou 2,4 por cento, segundo projecções feitas pela Lusa utilizando os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).
Uma inflação de 2,3 por cento é o valor que se obtém se os aumentos mensais de preços entre Outubro e Dezembro forem iguais aos de meses homólogos do ano passado.
O cenário de manutenção de um crescimento muito moderado dos preços nos últimos três meses do ano, a exemplo do que aconteceu em 2006, é consistente com a tendência de evolução bastante moderada do consumo privado, com o agravamento do pessimismo dos consumidores e com as perspectivas negativas dos comerciantes retalhistas para a actividade no último trimestre.
Em 2006, a moderação dos preços foi influenciada por um acréscimo de apenas 0,4 por cento nos preços do vestuário e calçado em Novembro e uma descida de 0,2 por cento em Dezembro, que sinaliza um início de saldos ou promoções antes da época, ainda no mês de Natal.
Mas bastará que os preços nos três últimos meses de 2007 cresçam ligeiramente acima do que se verificou no último trimestre do ano passado (mais 0,1 pontos percentuais em cada mês) para a inflação média chegar aos 2,4 por cento em 2007.
Num cenário de congelamento de preços no último trimestre, ao nível médio de Setembro, os dados do INE revelam que a inflação ficaria em 2,2 por cento, mas esta hipótese é bastante improvável, dado o tradicional agravamento de preços na quadra de Natal, nomeadamente na classe alimentação e bebidas não alcoólicas, a principal do índice.
Nos três primeiros trimestres de 2007, comparando com os nove primeiros meses do ano passado, os preços em Portugal subiram 2,4 por cento.
Em Setembro a inflação média (12 meses terminados em Setembro, sobre 12 meses precedentes) estava em 2,4 por cento e a homóloga (comparando com igual mês do ano anterior) em 2,1 por cento.
No Relatório da Porta de Orçamento de Estado para 2008, o Governo reviu em alta a sua estimativa de inflação em 2007, para 2,3 por cento (inicialmente 2,1 por cento).
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.