Ilha do Pico recebe primeiro Festival de Jazz Internacional

Ilha do Pico recebe primeiro Festival de Jazz Internacional

 

AO Online   Cultura e Social   14 de Set de 2019, 11:39

Andrea Bucko, Matteo Bortone e  Karlos Rotsen são os nomes internacionais que chegam aos Açores para o LAVA - Festival Internacional de Jazz da ilha do Pico que terá lugar nos três municípios da ilha montanha.

A partir de 2019 o triângulo do aquipélago dos Açores tem oficialmente um festival internacional dedicado apenas à temática do jazz. Música e artes plásticas serão apresentados nesta primeira edição. O cartaz deste ano é composto por três bandas, num total de sete elementos com a presença de vários países: Brasil, Itália, Martinica, França e Eslováquia.

Com o apoio das três municípios da ilha, a produtora Daniela Silveira- que já produz um festival de jazz na ilha Terceira- apresenta o primeiro circuito dinâmico de música jazz no Pico. Os artistas que compõe o cartaz vão tocar por diversos espaços comerciais ao redor da ilha cruzando a música com as fabulosas paisagens e gastronomia que se pode desfrutar no triângulo.

O festival pretende ser um pólo de atração de locais, visitantes estrangeiros e de visitantes das ilhas do triângulo como Faial e São Jorge e das outras ilhas do grupo central Terceira e Graciosa. Pretendemos estimular e aumentar as ligações via marítima ainda existentes, na data do festival, entre as ilhas do Grupo Central.

Na edição do próximo ano a produtora tem o desejo de se expandir para as outras duas ilhas do triângulo, Faial e São Jorge. A par de outros festivais internacionais já existentes na ilha, este festival pretende levar a marca triângulo além fronteiras através da cultura e neste caso em particular através da música.

Andrea Bucko cantora, compositora e pianista da Eslováquia. Com dois álbuns de originais na sua carreira musical, prepara-se agora para lançar o terceiro állbum inspirado na sua longa estadia em Paris. Já tocou em diversos festivais de relevo pela Europa. A sua música apresenta jazz com influência de indie e worldmusic com música tradicional eslovaca. Com diversos concertos agendados para Portugal é a primeira vez que se apresenta nos Açores.

O italiano Matteo Bortone foi distinguido em 2015 como "Best New Talent" por uma das mais prestigiadas revistas de música de itália. Dinstinguido tanto no seu país de origem como no país que o viu crescer como contrabaixista Matteo (França) conta com três álbuns de originais que irá levar na bagagem até à ilha do Pico. Ainda em França é considerado a nova revelação do jazz em Paris. O seu primeiro disco de jazz, lançado em 2013 - “Travelers” - foi aclamado pela crítica que o considerou um dos melhores álbuns lançados naqueles ano. Acompanhado por mais dois músicos, Enrico Zanisi e Stefano Tamborrin , o trio apresenta-se com bateria, piano e contrabaixo. Contam com diversas tournés pela Europa e América do Norte e toca pela primeira vez nos Açores.

Karlos Rotsen trio já não são uma estreia nos Açores, após a sua memorável passagem em maio pelo Festival Mais Jazz na ilha Terceira, o artista acompanhado pelo baterista de renome brasileiro Márcio Santos ( tocou com os maiores artistas brasileiros) e o pelo excelente contrabaixista Walter Areia. O trio volta ao arquipélago desta vez para apresentar o seu reportório totalmente original de ritmos latinos com raízes nas ilhas das Caraíbas. A residir em Lisboa há algum tempo, Karlos Rotsen, virtuoso pianista conta com uma carreira que o coloca no caminho do estrelato, tendo já atuado nos festivais mais proeminentes da Europa e da América do Norte.

Karlos Rotsen movido pelo seu espírito de ilhéu, sendo ele originário de uma ilha das Caraíbas, Martinica, uma ilha colonizada pela França, pretende em 2020 regressar aos Açores para gravar um álbum inspirado nestas ilhas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.