Açoriano Oriental
Ilha de São Miguel terá casa de apoio a doentes deslocados em breve

A ilha de São Miguel deverá ter em breve uma casa de apoio a doentes deslocados de outras ilhas, anunciaram o presidente do Governo Regional e o líder do CDS-PP/Açores, que propôs a sua criação.

article.title

Foto: CDS-PP/A
Autor: Lusa/AO Online

“É um processo que está em vias de arrancar com a intervenção em dois imóveis que são propriedade da região, mais concretamente da Unidade de Saúde de Ilha, e que vão dar apoio aos doentes de outras ilhas que se desloquem à ilha de São Miguel para tratamentos”, avançou o presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro.


O governante falava, em Ponta Delgada, à margem de uma reunião com o líder regional centrista, Artur Lima, em que foi feito um balanço da implementação de medidas propostas pelo CDS-PP e aprovadas pela Assembleia Legislativa dos Açores na votação do Plano e Orçamento da Região para 2019.


Segundo Vasco Cordeiro, através do diálogo entre socialistas e centristas foi possível encontrar, para além desta, várias soluções “em benefício dos açorianos”, nas áreas da educação, da solidariedade social, da saúde e do ambiente.


“Aquilo que, do ponto de vista político, retiro deste processo é um diálogo e uma concertação que produz resultados, obviamente com quem quer dialogar connosco, com quem quer ser parte da solução. Quem se acantona apenas numa posição de não querer colaborar e ser parte da solução, tem inteira legitimidade para o fazer”, afirmou.


Também o líder regional centrista, defendeu que as “pessoas têm de acreditar que a política não se faz só de crítica”.


“O CDS entendeu que a política também se faz de forma construtiva e não apenas e só com críticas ao Governo e nesse sentido fizemos uma série de propostas, num entendimento com o Partido Socialista e com o Governo Regional, no Plano e Orçamento, para uma série de medidas a favor dos açorianos”, salientou.


Para além da criação de uma casa de apoio a doentes deslocados, está já em vigor uma formação em emergência médica para os médicos de família das ilhas sem hospital e o alargamento do complemento para aquisição de medicamentos pelos idosos (COMPAMID) a mais beneficiários.


Artur Lima destacou ainda que a partir de setembro deste ano, “todas as famílias açorianas, cujos filhos entrem na universidade, vão receber um prémio de mérito de 500 euros”.


Outra das medidas propostas pelo CDS-PP, que já está em execução, é a aquisição de novos grupos térmicos para a central da Eletricidade dos Açores (EDA) na ilha Terceira com capacidade para funcionar com abastecimento de gás natural liquefeito (GNL).


“É uma medida que permite a redução de combustíveis fósseis e, sobretudo, a redução das emissões de CO2”, frisou o líder centrista, acrescentando que vai permitir também que o Porto da Praia da Vitória possa investir no armazenamento de GNL.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.