Crime

Homem que matou duas pessoas "com prognóstico reservado"


 

Lusa/AOonline   Nacional   8 de Out de 2008, 12:27

O indivíduo que terça-feira à noite matou, em Grijó, Gaia, duas pessoas e feriu ligeiramente outras três, alegadamente devido a um desentendimento com um vizinho, “está estável embora com prognóstico reservado", disse hoje à Lusa fonte hospitalar.
Segundo uma fonte do Centro Hospitalar de Gaia/Espinho, o homem, 65 anos, deu entrada naquela unidade "em estado crítico, com uma lesão grave na face", tendo sido submetido a uma intervenção cirúrgica durante a madrugada, que durou quatro horas.

    Esta intervenção envolveu as equipas de Otorrinolaringologia, Cirurgia Plástica e Cirurgia Geral daquela unidade hospitalar.

    Contactada pela Lusa, fonte das Relações Públicas da GNR/Porto, afirmou que tudo aconteceu cerca das 21:40, alegadamente devido a um desentendimento com um vizinho por causa de um lugar de estacionamento, na Rua Loureiro de Baixo, em Grijó.

    Fonte dos Bombeiros dos Carvalhos precisou à Lusa que “o homem desatou aos tiros, atingindo quem se cruzasse com ele”.

    Na sequência deste tiroteio, dois homens morreram e três outros sofreram ferimentos ligeiros.

    A fonte da GNR/Porto confirmou que uma das vítimas mortais era o vizinho, com quem alegadamente o agressor estaria a discutir.

    A outra vitima mortal foi o condutor de uma viatura “que passava naquela rua dentro do seu carro".

    "Os feridos ligeiros são também vizinhos, que passavam por lá", acrescentou a fonte da GNR, que confirmou que o agressor acabou por tentar o suicídio.

    A mesma fonte adiantou que a arma do crime - uma caçadeira - foi apreendida no local.

    Fonte hospitalar sublinhou à Lusa que o alegado criminoso foi ainda transportado até ao Hospital de Santo António, Porto, para "aconselhamento em Oftalmologia", tendo depois regressado à unidade de saúde de Gaia para ser operado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.