Açoriano Oriental
Grua do porto das Lajes das Flores deve estar operacional em 3 de dezembro

A reparação da grua do porto das Lajes das Flores ficará concluída em 3 de dezembro, um equipamento com quase 20 anos de funcionamento e sujeito a um forte desgaste, disse o Governo dos Açores.


Autor: Lusa

Em resposta a um requerimento do deputado do Chega no parlamento açoriano, José Pacheco, o executivo explica que a reparação do equipamento está "em fase de execução" e que se "prevê a completa operacionalidade da grua no porto de pescas das Lajes das Flores no dia 03 de dezembro de 2023".

No entanto, após a reparação, o Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) alerta que será necessário realizar algumas paragens programadas, o que poderá levar a “eventuais constrangimentos na sua operação”, paragens necessárias para que se garanta a “durabilidade, segurança e operacionalidade do equipamento”.

Na resposta ao requerimento do Chega, o executivo regional indica que tem sido cumprido um plano de manutenções daquela grua e que as mesmas foram sempre executadas em parceria com a Associação de Pescadores e Armadores da Ilha das Flores, embora com “várias limitações pela dificuldade na paragem do equipamento, por ser sujeito a constante utilização”.

A reparação da grua, de 16 toneladas, implicou um custo de 34.500 euros, mais IVA.

De acordo com a resposta do Governo Regional ao requerimento do Chega nos Açores, a reparação da grua da Lotaçor "teria um prazo de execução de 90 dias, mas que foi prorrogado a pedido da empresa".

Numa nota de imprensa divulgada para dar nota da resposta do executivo ao requerimento, o deputado José Pacheco sublinha a importância destas estruturas portuárias para a vida profissional dos pescadores, insistindo na necessidade de planos de manutenção adequados e de forma "a minimizar os constrangimentos nos portos de todas as ilhas dos Açores".

“Infelizmente temos muitas gruas nos nossos portos que sofrem de avarias constantes que depois condicionam a vida dos pescadores e armadores. O material tem um desgaste normal devido à frequente utilização a que é sujeito. No entanto, também tem de se pensar na manutenção destes equipamentos para que possam durar mais alguns anos sem avarias constantes. Não se pode pôr em causa até a própria segurança dos pescadores e armadores. Tem de se pensar numa manutenção regular e eficaz destes equipamentos”, sublinha o parlamentar, citado na nota.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados