Governo salienta importância de cidadania ambiental ativa

Governo salienta importância de cidadania ambiental ativa

 

Lusa/AO online   Regional   21 de Mai de 2019, 18:10

A secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo do Governo dos Açores salientou, após uma reunião do Conselho Regional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável (CRADS), a importância da participação da sociedade para uma “cidadania ambiental ativa”.

Marta Guerreiro, que falava após a reunião tida em Ponta Delgada, destacou que é “importante vincar a importância" de se ter "uma cidadania ambiental ativa e consciente”, afirmando que “esta abertura dita a necessidade" de haver "cidadãos preocupados e envolvidos com esta matérias”.

A governante deixou o apelo aos cidadãos para “que façam uso desta prerrogativa, que permite que todos possam influenciar a tomada de decisões em matérias ambientais”, uma vez que, a partir do próximo conselho, que se realiza este ano, passa “a ser possível enviar contributos para o mesmo, mas também participação direta, com apresentação de temas, comentários e sugestão de introdução de temas específicos”, explicou.

O CRADS é um órgão consultivo que integra várias entidades com competências ambientais e que emite pareceres sobre as linhas de atuação da administração regional em matérias de ambiente.

Em cima da mesa estiveram, durante esta manhã, questões como o Plano de Mobilidade Elétrica dos Açores, o relatório da gestão de resíduos urbanos da região, ou o projeto Life IP Natura, um programa de conservação da natureza que abrange 23 Zonas Especiais de Conservação, 15 Zonas de Proteção Especial e três Sítios de Interesse Comunitário da Rede Natura 2000.

A secretária avançou ainda que, no âmbito da Rede de Mobilidade Elétrica, foram apresentadas cinco propostas para a criação de 16 postos carregamento semi-rápidos até 2020, dos quais oito deverão ser instalados no decorrer deste ano.

A governante lembrou também que vai ser inaugurado, esta semana, um posto de carregamento junto à Direção Regional da Energia, que poderá ser utilizado pelo público.

Sobre a redução de plásticos de uso único em hotéis, restaurantes e cafés, Marta Guerreiro relembrou que foi ouvida a AHRESP (Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal), que “levantou algumas preocupações, mas salientou que são imprescindíveis, dando o seu parecer positivo”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.