Açoriano Oriental
Governo Regional não investe devidamente na academia açoriana

O líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, acusou hoje o Governo dos Açores, socialista, de não financiar devidamente a Universidade dos Açores visando a manutenção da sua tripolaridade nas ilhas São Miguel, Terceira e Faial.

Governo Regional não investe devidamente na academia açoriana

Autor: Lusa/AO Online

Artur Lima, que foi recebido pelo reitor da Universidade dos Açores, João Luís Gaspar, acompanhado do cabeça de lista do partido por São Miguel, às eleições legislativas regionais, Nuno Gomes, declarou que o Governo Regional “não faz o seu dever ao não financiar, como deve ser, a Universidade dos Açores para manter a sua tripolaridade nas ilhas São Miguel, Terceira e Faial”.

O dirigente centrista quer que o executivo socialista regional “deixe-se de rodriguinhos e inscreva também nos programas comunitários verbas para a Universidade dos Açores”, que é tutelada pelo Governo da República.

Para Artur Lima, o Governo Regional, “ao investir na Universidade dos Açores, está a investir em cada um dos açorianos e dos seus jovens, sendo um investimento específico e dirigido”.

O dirigente adianta que o executivo socialista “falha clamorosamente nesse investimento, dando os mesmos 350 mil euros há pelo menos 12 anos”.

O líder centrista apontou que, "tal como o reitor da academia tem vindo a revelar, per capita, a academia dos Açores recebe menos cinco euros do que as universidades a nível nacional”.

Dirigindo-se especificamente ao primeiro-ministro, António Costa, Artur Lima declara que “Portugal continental só tem dimensão atlântica porque tem o arquipélago dos Açores” e, “em vez de vir criar uma universidade atlântica para a região, que não se necessita para nada, havendo a Universidade dos Açores, dê financiamento do plano de António Costa e Silva à academia açoriana”.

“O camarada Vasco (Cordeiro) tem que falar com o camarada Costa para que se invista na dimensão e na grandeza na Universidade dos Açores, à Costa e Silva”, declarou o centrista.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Vasco Cordeiro, líder do PS/Açores e presidente do Governo Regional desde as legislativas regionais de 2012, após a saída de Carlos César, que esteve 16 anos no poder, apresenta-se de novo a votos para tentar um terceiro e último mandato como chefe do executivo.

No mais recente ato eleitoral, para as legislativas nacionais de 2019, estavam recenseados e aptos a votar nos Açores 228.975 eleitores.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.