Agricultura

Governo quer acelerar fundos comunitários para o Desenvolvimento Rural

Governo quer acelerar fundos comunitários para o Desenvolvimento Rural

 

Lusa/AO online   Nacional   7 de Nov de 2009, 13:49

O novo ministro da Agricultura, António Serrano, disse hoje em Borba que uma das prioridades do Ministério da Agricultura para esta legislatura passa por acelerar e agilizar o PRODER(fundos comunitários para o Desenvolvimento Rural).

António Serrano indicou ainda que terça-feira vão iniciar-se as conversações com todas as confederações, onde em cima da mesa estará esta e outras matérias.Em declarações à agência Lusa, à margem da Festa da Vinha e do Vinho, em Borba, António Serrano adiantou que o Ministério que tutela pretende colocar “o PRODER ao serviço dos agricultores, dos pescadores e todos os agentes deste sector”. António Serrano frisou ainda como prioridade as questões de natureza organizativa e prometeu “dedicar uma forte atenção aos sectores fundamentais da nossa agricultura, que têm grande competitividade, o primeiro dos quais a floresta”. “Vamos prestar muita atenção aos pequenos agricultores, aos pequenos territórios onde há gente que trabalha com poucos recursos e poucos meios, numa lógica de sustentabilidade dos nossos territórios”, salientou. Em declarações aos jornalistas, António Serrano, referindo-se ao PRODER disse que “este processo tem vindo a melhorar nos últimos meses”. “Era um processo que vinha em marcha e que vamos agora acelerar e intervir no sentido de agilizar esse programa e chegar o mais rapidamente às ambições, desejos e necessidades do agricultores”, disse. O ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, inaugurou hoje a Festa da Vinha e do Vinho, e o novo pavilhão de feiras em Borba, distrito de Évora, onde decorre o certame, no seu primeiro acto público nas funções governativas. No seu discurso António Serrano disse estar “satisfeito” como ministro alentejano, de ter em Borba o seu primeiro acto oficial, na inauguração da festa e do pavilhão de eventos, e de poder “simbolicamente mostrar o empenho do Ministério da Agricultura na fileira do vinho”.  O titular da pasta da Agricultura realçou ainda a necessidade de “se concretizar o sonho do sucesso do vinho português no estrangeiro”, a exemplo do “sucesso alcançado na região e no país”. “O sucesso passa por produzir bem, com qualidade e muita quantidade para dar satisfação à procura que o mercado internacional exige”, salientou. A Festa da Vinha e do Vinho começou hoje com a inauguração de um pavilhão de eventos, que acolhe o certame, num investimento de 3,4 milhões de euros. Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Borba, Ângelo de Sá, disse que o novo pavilhão de feiras e eventos permite "garantir o desenvolvimento do certame dedicado ao vinho e à vinha, que recebe todos os anos milhares de visitantes". A 18/a edição da Festa da Vinha e do Vinho decorre até dia 15 com a participação de cerca de uma centena de expositores, com destaque para os produtores de vinho do Alentejo. Com palco numa das mais importantes regiões vitivinícolas do Alentejo, o certame está a cargo do município local, Associação Técnica dos Viticultores do Alentejo (ATEVA), Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) e Turismo do Alentejo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.