Governo dos Açores vai reunir-se com Ministério Público sobre alegados maus-tratos

Governo dos Açores vai reunir-se com Ministério Público sobre alegados maus-tratos

 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Ago de 2018, 16:39

A secretária regional da Solidariedade Social dos Açores reiterou esta terça-feira que os alegados maus-tratos na Rede de Cuidados Continuados Integrados da região foram reportados ao Ministério Público, com quem vai reunir-se em 21 de agosto.

Em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada, Andreia Cardoso afirmou que o executivo açoriano reportou, junto do Ministério Público, as denúncias de maus-tratos nas Redes de Cuidados Continuados Integrados da Santa Casa da Misericórdia de São Miguel e da Terceira.

Andreia Cardoso avançou, ainda, que irá reunir-se com a procuradoria no dia 21 de agosto e que os casos de óbitos na Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados de toda a região estão a ser avaliados “no sentido de apurar os factos que conduziram às taxas de mortalidade que foram faladas”.

Sobre as conclusões do inquérito pedido pelo executivo, a governante acrescenta que já foi solicitada a colaboração da Ordem dos Médicos, mas aguarda a "indicação" para que sejam feitos "os procedimentos que são normais nessa matéria”, razão pela qual não pode adiantar uma data para a conclusão do processo.

As declarações da secretária regional ocorreram à margem da visita à creche e jardim de infância “Castelinho Encantado”, que serve 135 crianças com idades compreendidas entre os 4 meses e os 5 anos, e à creche “Casinha Mágica”, que recebe 17 crianças entre os 4 meses e os 3 anos.

Os edifícios foram alvo de obras de requalificação de cobertura e pintura de exteriores, e reparações de danos causados por infiltrações, no caso do “Castelinho Encantado”, e uma intervenção integral na creche “Casinha Mágica”, uma obra que perfez um investimento conjunto superior a 30 mil euros.

Com esta intervenção fica concluída a requalificação do edifício da creche “Casinha Mágica”, no entanto, o “Castelinho Encantado” necessita, numa segunda fase, de intervenção nas pinturas interiores e climatização.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.