Governo dos Açores pede explicações a Lisboa sobre eventual fecho de Finanças

Governo dos Açores pede explicações a Lisboa sobre eventual fecho de Finanças

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Out de 2013, 19:44

O Governo dos Açores pediu hoje explicações à ministra Maria Luís Albuquerque sobre o eventual fecho de Finanças no arquipélago, sublinhando que os habitantes de cinco ilhas podem passar a ser os únicos portugueses sem acesso a estes serviços.

"O anúncio público de que poderão encerrar 13 serviços de Finanças nos Açores merece da nossa parte grande preocupação, porque esta medida, tendo em conta a realidade arquipelágica da região, impedirá o acesso aos serviços de Finanças dos cidadãos açorianos”, escreveu o vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, numa carta enviada à ministra das Finanças.

Uma pesquisa sobre a eventual reorganização dos serviços de Finanças, com base em cruzamento de dados, nomeadamente de um estudo do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, publicada na segunda-feira no Diário de Notícias, refere que poderão fechar 154 repartições de Finanças no país, sobretudo no interior do país.

Sérgio Ávila refere que, segundo as notícias divulgadas na comunicação social, "os cidadãos residentes nas ilhas de São Jorge, Graciosa, Corvo, Flores e Santa Maria ficarão sem qualquer serviço de atendimento público de Finanças, não se vislumbrando também nenhuma forma de resolução deste assunto”.

O vice-presidente do Governo dos Açores alerta que está em causa "uma região ultraperiférica, com todos os constrangimentos que são por demais conhecidos, de nove ilhas separadas pelo mar, bem como o facto de que o encerramento destes serviços de Finanças fará com que os residentes nestas ilhas sejam os únicos portugueses que deixarão de ter acesso a um serviço de Finanças”.

Na mesma carta, citada num comunicado do Governo açoriano, Sérgio Ávila pede, por isso, “informação concreta sobre as efetivas intenções” do Ministério das Finanças nesta matéria.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.