Concertação Social

Governo apresentou linhas gerais compromisso para crescimento e emprego

Governo apresentou linhas gerais compromisso para crescimento e emprego

 

Lusa/AO online   Economia   12 de Set de 2011, 21:34

O ministro da Economia apresentou aos parceiros sociais as linhas gerais de um compromisso nacional para o crescimento e o emprego, defendendo uma estratégia que faça com que Portugal volte a crescer.
“Para nós o mais importante é avançar com uma estratégia que faça com que Portugal volte a crescer”, disse Álvaro Santos Pereira no final de uma reunião de Concertação Social que durou cerca de quatro horas.

Segundo o ministro, a estratégia do Governo é de “grande espírito de abertura e de defesa dos interesses nacionais”, esquecendo divisões.

Álvaro Pereira apresentou hoje aos parceiros as linhas gerais de um compromisso para o crescimento, competitividade e emprego, considerando que este só fará sentido se incluir as questões laborais, as políticas activas de emprego e as políticas públicas para aumentar a competitividade.

O ministro especificou que dentro das políticas públicas para aumentar a competitividade estão políticas para as áreas do transporte e energia.

Relativamente ao Fundo de Compensação do Trabalho, um dos temas fortes da reunião de hoje, o governante considerou que este tal como estava concebido no acordo de concertação social de Março “não era exequível”.

O ministro explicou que a proposta de Fundo de Compensação do Trabalho que enviou aos parceiros na quarta-feira se baseou em modelos de outros países.

“Mas o Governo não é dogmático, sabe ouvir e está disponível para negociar”, frisou.

No que respeita à taxa social única, o ministro da Economia disse que o tema está ainda em discussão no Governo, adiantando que considera ter sido importante ouvir hoje a opinião dos parceiros sociais para posterior decisão final.
    

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.