Açoriano Oriental
Fundo de investimento abre segundo hotel nos Açores até junho de 2016
O Fundo Discovery anunciou hoje a abertura, até junho de 2016, do seu segundo hotel na ilha de São Miguel, sendo que as obras de remodelação, em curso, estão orçadas em nove milhões de euros.
article.title

Foto: Açoriano Oriental/Eduardo Resendes
Autor: Lusa/AO Online

 

“A inauguração desta nova unidade, que irá criar cerca de 100 postos de trabalho, está prevista para o segundo trimestre de 2016”, adiantou o fundo de investimento privado em comunicado, acrescentando que o nome do hotel passará de Príncipe do Mónaco para Azor.

O hotel Azor, sob a gestão da marca DHM - Discovery Hotel Management, que também gere o Furnas Boutique Hotel inaugurado este ano, está localizado em frente à marina de Ponta Delgada, um empreendimento cujas obras estiveram paradas durante vários anos.

A nova unidade hoteleira, um projeto com assinatura do arquiteto Gomes de Menezes e decoração de Nini Andrade Silva, terá 123 quartos, piscina exterior, SPA panorâmico, ginásio, casino-bar, restaurante, salas de reuniões e um centro de conferências.

Fonte do Fundo Discovery adiantou à Lusa que em simultâneo com a abertura do hotel Azor decorrerá a inauguração do primeiro casino dos Açores, uma sala no interior da unidade hoteleira que será arrendada a outra entidade para explorar os jogos de fortuna e azar.

Em abril de 2003, a Atlântida Sociedade de Turismo e Animação, SA (ASTA) assinou com a Região Autónoma dos Açores um contrato de concessão do exclusivo de jogos de fortuna e azar a instalar em S. Miguel e outro contrato do exclusivo da exploração de jogo de bingo e máquinas na ilha Terceira.

Passado um ano, o Tribunal de Ponta Delgada aprovou um plano de revitalização do grupo ASTA, depois de o Governo Regional dos Açores ter aceitado passar a concessão do jogo para outra entidade.

Presentemente, a exploração dos jogos de fortuna e azar na ilha de S. Miguel e Terceira está a cargo da Romanti Casino Azores – Jogo e Animação Turística, SA.

No entanto, o executivo regional impôs contrapartidas, entre elas que até 28 de janeiro de 2016 tinha de estar a funcionar o casino, o hotel Príncipe do Mónaco, o posto de turismo e o parque de estacionamento da urbanização Pero de Teive, na cidade de Ponta Delgada, bem como as salas de bingo e jogo na ilha Terceira.

No caso da urbanização Pero de Teive, o Governo açoriano pediu ainda a reformulação do projeto, no sentido de reduzir a sua volumetria e criar espaços para usufruto da população.

Pedro Seabra, que lidera a equipa que faz o aconselhamento dos investimentos do Fundo Discovery e assume a presidência do conselho de administração da ASTA Atlântida (sociedade detida por aquele fundo) disse à Lusa em abril de 2015 que o projeto para a urbanização Pero de Teive, que engloba a zona de galerias comerciais, estava em negociações com a Câmara de Ponta Delgada.

O Fundo Discovery está em atividade desde 2012, tendo desde então comprado créditos de mais de 30 ativos, num valor superior a 500 milhões de euros, quase todos na área do turismo.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.