Festival Maré de Agosto de volta para assinalar nos Açores 35 anos de existência

Festival Maré de Agosto de volta para assinalar nos Açores 35 anos de existência

 

Lusa/AO Online   Cultura e Social   9 de Jul de 2019, 09:08

Os artistas Maruja Limón, da Cruz, Muyayo Rif, Maria Bettencourt e Eskorso marcam presença na 35.ª edição do Festival Maré de Agosto, na ilha de Santa Maria, de 22 a 24 de agosto.

A Associação Cultural Maré de Agosto, organizadora do festival, refere em nota de imprensa que Maruja Limón, projeto que nasceu em 2014, “é um cocktail de Lunares, Caribe e Bossa nova”, sendo a formação oriunda de Barcelona, misturando ritmos latinos, som cubano, Rumba, Pop e Flamenco.

A artista Da Cruz ganhou na última década “uma excelente reputação no cenário musical global”, tendo cada um dos seus quatro álbuns chegado ao Top 10 das rádios universitárias americanas, com jornais como "The Independent", revista "Rolling Stone" e estações de rádio "BBC 6 Music“, "KEXP“ e "Radio France International“ a "acompanharem e elogiarem a sua carreira".

A banda de Barcelona Muyayo Rif mantém “On Air”, “a sua energia e groove característicos, enquanto se redefinem com novos sons, experimentando vários estilos”, como o “Electroswing”, o Balkan ou o Disco.

A cantora Maria Bettencourt, nascida na Praia da Vitória, llha Terceira, filha do músico Luís Gil Bettencourt, tomou gosto ao palco quando aos 10 anos, também na Maré de Agosto, subiu ao palco pela primeira vez com a banda Extreme e seu tio Nuno Bettencourt.

Toca ‘covers’ por diversos bares dos Açores e continente e tem vindo a apostar num trabalho de originais, assim iniciando concertos por Boston, Nova Iorque, Los Angeles ( Hollywood ), Londres, Lisboa, Aveiro e Açores.

Depois de mais de duas décadas na estrada, os Eskorzo estão no seu melhor e lançaram um dos melhores álbuns espanhóis de 2018, “Alerta Caníbal”, que é considerado o seu melhor trabalho até agora.

Sucessos anteriores, como "El Árbol de la Duda", "Paraísos Artificiales" ou "Camino de Fuego", fizeram-os percorrer o mundo, refere a organização do evento.

Em “Alerta Caníbal” a banda abraça plenamente as sonoridades latino-americanas.

O festival Maré de Agosto resultou de uma iniciativa de músicos açorianos realizada na ilha de Santa Maria, tendo em 1987 surgido a Associação Cultural Maré de Agosto, e já proporcionou 400 concertos protagonizados por 250 grupos e mais de 2000 músicos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.