Exposição a edredões e almofadas de penas entre causas da fibrose pulmonar

Exposição a edredões e almofadas de penas entre causas da fibrose pulmonar

 

Lusa/AO online   Ciência   21 de Out de 2013, 12:44

A exposição a edredões e almofadas de penas foi identificada como uma das principais causas da fibrose pulmonar idiopática num estudo clínico realizado no Hospital Vall d'Hebron, de Barcelona, um dos principais centros mundiais de pesquisa da doença.

O Hospital Vall d'Hebron informou em comunicado que os seus investigadores conduziram, entre 2004 e 2011, um estudo clínico em 60 pacientes e descobriram que, em metade dos casos, uma das principais causas da doença é a exposição a edredões e almofadas de penas.

Também a exposição a aves e fungos, em quantidades mínimas, mas constantes pode influenciar o desenvolvimento da doença, acrescenta a nota.

O estudo, que já foi publicado na revista científica "The Lancet Respiratory Medicine", "altera radicalmente" a abordagem que se deve adotar no estudo da doença uma vez que, segundo o hospital, para determinar as causas da fibrose pulmonar idiopática, o pneumologista deve fazer um historial médico muito detalhado.

No estudo deverão passar a incluir-se visitas ao domicílio dos pacientes ou ao local de trabalho para tentar descobrir possíveis fontes antigénicas e fazer medições das quantidades de fungos, penas e isocianatos (substancias químicas potencialmente irritantes para pele e olhos), entre outras.

A fibrose pulmonar idiopática é uma doença reconhecida desde 1940, em que os dois pulmões perdem progressivamente elasticidade, dificultando a inspiração e levando à perda gradual da capacidade respiratória.

O transplante pulmonar é a solução para os pacientes mais graves. No ano passado, o hospital Vall d'Hebron realizou 66 transplantes de pulmões, números que o colocam entre os primeiros centros mundiais nesta área.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.