Estado comparticipa com 65 por cento no Inov Social


 

Lusa / AO online   Economia   12 de Nov de 2009, 15:11

O Inov Social, aprovado esta quinta-feira pelo Governo, vai ser comparticipado em 65 por cento pelo Estado e pretende colocar mil jovens por ano em estágios junto de instituições de economia social sem fins lucrativos.
A ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, Helena André, disse que o INOV Social pretende “apoiar a inserção de jovens no mercado de trabalho” e “integra-se numa lógica de conjunto com outros programas INOV” (jovem, contacto, arte mundos e Vasco da Gama).

“Os cinco programas em vigor já permitiram efectuar cerca de 13 mil estágios, o que equivale a uma taxa de empregabilidade de 73 por cento”, referiu a ministra.

Com o INOV social, segundo Helena André, “pretende-se também apoiar a capacitação e a modernização das instituições de economia social”.

“O objectivo é que jovens quadros com qualificações superiores nas áreas da economia, gestão, direito, ciências sociais ou engenharia possam ser inseridos em instituições como as Instituições Particulares de Solidariedade Social, as associações de desenvolvimento local ou de empreendedorismo social, ou ainda entidades culturais sem fins lucrativos”, acrescentou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.