Escritor Dias de Melo morreu aos 83 anos

Escritor Dias de Melo morreu aos 83 anos

 

Lusa / AO Online   Regional   24 de Set de 2008, 13:26

O escritor Dias de Melo, com cerca de 50 anos de vida literária, morreu hoje, aos 83 anos, no hospital de Ponta Delgada, confirmou à agência Lusa a sua filha.
    Edna Dias de Melo adiantou que o pai faleceu cerca das 11:30 locais (12:30 de Lisboa), no Hospital de Ponta Delgada, depois de ter sido internado há cerca de uma semana.

    "O estado de saúde dele (Dias de Melo) estava a deteriorar-se cada vez mais", disse a Edna Dias de Melo, sem avançar qual o motivo da morte.

    José Dias de Melo nasceu na Calheta do Nesquim, ilha do Pico, a 08 de Abril de 1925, e, além da carreira de professor primário, foi colaborador assíduo da imprensa regional e nacional e um profundo conhecedor da temática baleeira e da emigração.

    No anos 50 do século passado, inicia o seu percurso literário, com um livro de poesia intitulado "Toadas do Mar e da Terra", a que se seguiram outros, com destaque para o seu best-seller "Pedras Negras", que foi publicado, pela primeira vez, em 1964.

    Em reconhecimento do contributo do escritor para o panorama literário português, o Presidente da República, Mário Soares, condecorou-o com a Ordem do Infante, e também foi homenageado pelas Lajes do Pico com o título de Cidadão Honorário do concelho.

    Recentemente, o presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, presidiu a uma sessão pública de homenagem a Dias de Melo, que incluiu o lançamento de uma nova edição da triologia das obras do autor - "Pedras Negras", "Mar Rubro" e Mar Pla Proa".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.