"Encarnados" favoritos à Luz da história


 

Lusa/Ao online   Futebol   29 de Nov de 2007, 07:48

O Benfica conta 54,8 por cento de vitórias na recepção ao FC Porto, na história do campeonato nacional de futebol, mas, e embora ostentando mais triunfos na última década, apenas ganhou um dos últimos seis encontros.
Em 73 jogos caseiros, os “encarnados”, anfitriões sábado do jogo “grande” da 12ª jornada da Liga portuguesa de futebol, ganharam 40, contra apenas 11 (15,1 por cento) dos “dragões”, num clássico que terminou empatado em 22 ocasiões (30,1).

    À luz da história, a supremacia do Benfica é clara, até porque, e mesmo tendo assumido a liderança nacional, com 17 títulos nos últimos 30 anos (desde 1977/78) e nove nos derradeiros 13 (desde 94/95), o FC Porto não a conseguiu estender aos jogos na Luz.

    Depois de 77/78, o FC Porto pontuou a maioria das vezes (19), mas só conseguiu cinco triunfos, e, mesmo depois de ter acentuado o seu domínio, quando arrancou para o inédito “penta”, selado em 1999, continuou a perder na relação de vitórias (três contra cinco).

    Olhando a última década, os “encarnados”, que nesse período apenas conquistaram um título (2004/2005), venceram em casa o FC Porto por quatro vezes: 3-0 em 1997/98 (marcaram Brian Deane, Poborsky e Tahar), 1-0 em 1999/2000 (Sabry), 2-1 em 2000/2001 (“bis” de Pierre van Hooijdonk) e 1-0 em 2005/2006 (Laurent Robert).

    Por seu lado, os “azuis e brancos” ganharam apenas em 2002/2003 e 2004/2005, e por 1-0, graças a golos de Deco e McCarthy, respectivamente, tendo o último triunfo sido muito polémico, devido à anulação de um golo a Petit, em que a bola parece ter entrado.

    Os restantes quatro embates dos últimos 10 anos terminaram em igualdades, a um golo em 1998/99, 2003/2004 e a época passada (a 01 de Abril de 2007, Pepe adiantou os portistas e Lucho Gonzalez marcou na própria baliza, aos 83 minutos) e a zero em 2001/2002.

    A história dos encontros para o campeonato na casa do Benfica começou a 24 de Março de 1935: no Campo das Amoreiras, em Lisboa, os anfitriões venceram por 3-0, com tentos de Gaspar, Rogério e Vítor Silva, iniciando um domínio que se estendeu ao longo do tempo.

    Em qualquer das décadas, o Benfica apresenta sempre mais triunfos do que os “azuis e brancos”, mas, nos anos 90, os portistas lograram, pela primeira vez, pontuar na maioria dos jogos (duas vitórias e cinco empates), sofrendo apenas três desaires.

    Mesmo tendo melhorado o seu desempenho em reduto “encarnado”, a verdade é que o FC Porto só por uma vez conseguiu dois triunfos consecutivos (1-0 em 1974/75 e 3-2 em 75/76) e apenas alcançou uma vitória por mais de um golo de diferença (2-0 em 1950/51).

    Por seu lado, o Benfica apresenta uma série de goleadas, a maior das quais na longínqua época de 1942/43: 10 tentos separaram as duas equipas (12-2), com Julinho (quatro) em destaque.

    A formação lisboeta conseguiu ainda mais uma série de resultados expressivos, destacando-se os 7-2 de 1944/45, os 6-0 de 36/37, os 5-1 de 35/36 e 41/42 e ainda os 4-0 de 45/46, 46/47 e 64/65.

    No que respeita a golos, o “maior” é José Águas, que “bisou” em cinco ocasiões e soma um total de 14 golos, seguido pelo “rei” Eusébio da Silva Ferreira (10 tentos).

    Em relação aos actuais planteis, apenas dois jogadores já marcaram nos “clássicos” da Luz: o “maestro” benfiquista Rui Costa facturou no triunfo por 2-0 de 1993/94 (ano do penúltimo título do Benfica) e o postista Lucho “enganou-se” na baliza a época passada.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.